15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Benfica e Sporting Campeões Nacionais

 

Águias somam 32 títulos masculinos, leoas somam 50! 

 

Os Campeonatos Nacionais de Clubes conheceram hoje o seu desfecho disputando-se em seis locais diferentes. Partindo favoritas, as equipas do Benfica (masculinos) e do Sporting (femininos) confirmaram esse estatuto e conquistaram os triunfos que lhes eram apontados. Comecemos pelo Sporting, em femininos, que conquistou o seu 50º triunfo da história da competição, com larga vantagem sobre o Benfica, que ficou na segunda posição. O Juventude Vidigalense conquistou o terceiro lugar da prova. 

 

 

Em masculinos, o Benfica somou o seu 32º título de sempre, terminando com 23 ,5 pontos de vantagem sobre o Sporting, longe do que havia feito nos últimos anos. O terceiro lugar do pódio foi ocupado pela equipa do Sporting de Braga, que somou mais dois pontos que o Juventude Vidigalense. 

 

Na primeira jornada, de manhã, o Benfica venceu todas as provas masculinas em disputa (mesmo os 800 metros com José Carlos Pinto a derrotar Nuno Pereira, ambos a marcarem 1.51,80 minutos), mas na jornada da tarde fugiram três triunfos aos encarnados, com as vitórias dos sportinguistas João Vieira (3000 m marcha, em 12.43,50) e Edujose Lima (no disco, 56,55 m) e do bracarense Francisco Rodrigues (nos 1.500 m, em 3.53,11 minutos). 

 

 

Já o Sporting, em todo o dia, apenas deixou fugir a vitória em quatro provas femininas: nos 3000 metros, por intermédio de Marta Pen, do Benfica (a derrotar Sara Moreira); nos 800 metros com Camila Gomes (Benfica) a surpreender as adversárias; nos 1500 metros, por Mariana Machado, do Sporting de Braga (4.20,99); e nos 2000 m obstáculos por Joana Soares (Jardim da Serra). 

 

 

Um dos maiores destaques individuais da competição esteve no recorde nacional sub23 obtido no lançamento do dardo, por intermédio da sportinguista Cláudia Ferreira, que atingiu os 54,66 metros, melhorando em 23 centímetros o anterior máximo (54,43) que Silvia Cruz estabelecera há 19 anos! 

 

Houve mais resultados de primeiro plano de atletas do Benfica, como os 16,93 metros de Pedro Pichardo no triplo salto; os 20,75 metros de Tsanko Arnaudov no peso; os 46,81 segundos de João Coelho nos 400 metros; os 8.01,50 minutos de Samuel Barata nos 3000 m; ou os 5,20 m de Diogo Ferreira na vara. De tarde, mais destaques benfiquistas nos 200 m, por Delvis Santos (21,40); Lucirio Garrido, nos 400 m barreiras (50,48); Gerson Baldé, na altura (2,15); Leandro Ramos, no dardo (70,43); ou André Pereira, nos 2000 m obstáculos (5.28,99). 

 

Em femininos, para além de Cláudia Ferreira, destacaram-se as sportinguistas Evelise Veiga (6,41 no comprimento), Irina Rodrigues (58,06 no disco), Cátia Azevedo (53,03 nos 400 metros), Lorene Bazolo (11,39 nos 100 metros e 23,38 nos 200 metros), Jessica Inchude (17,23 no peso – com todos os lançamentos acima de 17 metros), Vera Barbosa (400 m barreiras em 57,84. Patrícia Mamona, que menos de 24 horas antes competiu no Mónaco, venceu o triplo em 13,64 (+2,8 m/s). Uma nota ainda para o triunfo de Vera Santos na prova de 3000 m marcha. 

 

CA Seia e GA Fátima campeões da segunda divisão 

 

Emocionante a segunda divisão masculina, com os três primeiros classificados separados por um 1,5 pontos, com o título a ser conquistado pelo CA Seia, que somou mais meio ponto que o AC Póvoa de Varzim e este apenas com mais um ponto que o Maia AC! Com os dois primeiros a somarem quatro triunfos cada, o Seia conseguiu mais segundos lugares. O Maia conseguiu três vitórias individuais. 

 

Em femininos, o GA Fátima triunfou com maior vantagem, ainda assim por apenas seis pontos sobre a equipa do GR Eirense, que somou mais três pontos que o Maia AC (a única equipa a subir aos dois pódios). A formação de Fátima somou cinco triunfos individuais, os mesmos que o Eirense, apenas teve um segundo lugar (três do adversário direto), mas a nível dos terceiros e quartos lugares registou maior equilíbrio. Ao Maia não chegaram os dois triunfos e seis segundos lugares. 

 

Eirense e Academia de Valdevez vencem terceira divisão 

 

Presente na terceira divisão com equipa masculina, o Eirense foi o vencedor com mais oito pontos que o segundo classificado, a equipa do Mazarefes, de Viana do Castelo, enquanto o CA Baixa da Banheira subiu ao pódio no terceiro lugar, com apenas um ponto menos que a formação minhota.  

 

Em femininos, a estreante Academia de Valdevez (Viana do Castelo) surpreendeu toda a concorrência triunfando com 7,5 pontos de vantagem sobre outro estreante, o União de Tomar, com o Ribeirinho (Setúbal) a ocupar a terceira posição. 

 

Fotos: Luís Barreto / FPA

 

 

Periodicidade Diária

sexta-feira, 14 de maio de 2021 – 11:18:53

Pesquisar

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...