15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Fernando Tordo no Casino do Estoril

 

O Auditório do Casino do Estoril recebeu Fernando Tordo no dia 28 de Maio para uma noite de espectáculo musical.

 

No ambiente do palco estava recriada a sala onde o artista trabalhou durante vários anos da Rua da Saudade nº 23 em que José Carlos Ary dos Santos poeta e compositor de letras musicais (grande parte do cancioneiro de Fernando Tordo). Ele viva no R/C Direito e Fernando Tordo inicialmente no 5º andar, mais tarde mudou-se para o primeiro piso.

 

Fernando Tordo tinha conhecido Ary dos Santos em 1968 nos estúdios da Valentim de Carvalho na rua Nova do Almada. Amizade que dura e muito trabalho foi feito em conjunto daí para a frente.

 

O cantor compositor referiu logo no inicio do espectáculo o facto de ter sido hospitalizado por contrair o vírus da Covid-19 com gravidade. Esse facto poderia mostrar em palco algum sinal de cansaço, mas que o público não ficasse preocupado, pois seria normal e para mais algo que ele se sente bem a fazer é a cantar.

 

Foi acompanhado ao piano pelo maestro Valter Rolo e no Saxofone e flautas pelo maestro Rui Guerreiro.

 

Com um ambiente de pouca luz e intimista, introduz sempre o tema que interpreta, com descontração e muita histórica que o envolve. Quase que foi um talk-show misto de concerto num excelente ambiente e com muito humor misturado durante cerca de uma hora e meia.

 

Na “Balada para os nossos filhos”, tema que segundo o músico, surge por uma sugestão de Ary dos Santos para ser dedicado aos seus filhos João e Joana nascidos a 28 de Agosto de 1975. Aqui Fernando Tordo não só dá a voz como também acompanha a canção à guitarra.

 

As músicas que apresentou ao seu público passaram por um recordar de temas, a história do seu percurso de vida, tais como: “O meu é teu”, “Balada para os nossos filhos”, “Novo fado alegre”, “Estrela da tarde”, “Viva Brel”, “Cavalo à solta”, “Amigo que eu canto”, “Sonata de Outono”, “Fado de Alcoentre”, “Se digo meu amor” terminando com “Tourada”.

 

No final fez os seus agradecimentos à Artfeist à sua agência “Contos da Praça”, a todos os técnicos envolvidos para que fosse possível este espectáculo tanto os deste espaço, assim como os que o acompanham por todos os palcos por onde que passa incluindo os que fazem sempre recriar o ambiente da já referida sala de Ary dos Santos.

 

Agradece a presença do público, pois sem este ele não seria possível ter feito um espectáculo destes: “A presença de todos é essencial para haver o encontro”. Agradece também: “aos médicos que me tiraram das portas da morte”.

No fim do espectáculo, o público manifesta-se com uma grande ovação de  pé.

 

Já no exterior da sala, houve uma sessão de autógrafos e a apresentação do seu novo disco.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

Periodicidade Diária

domingo, 25 de julho de 2021 – 19:03:39

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...