13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Eduardo Mbengani

 
Nome Completo: Eduardo Mbenganimais conhecido por Edu
Data de Nascimento: 08 de janeiro de 1985
Altura: 175 cm
Peso: 63 kg
Inicio na Modalidade: 2002
Equipa: G.D.R.Conforlimpa
Treinador: Eduardo Henriques 
Resultados:
11.º no Campeonato Nacional de Corta-mato 2008
37.º no Campeonato Europeu de corta-mato 2008
3.º no Campeonato nacional de Corta-Mato 2009
7.º no Campeonato Europeu de corta-mato 2009
 
Marcas:
5000m - 13:43.12    27/06/2009 em Malaga
1500m – 3:47.00     31/05/2009 em Pézenas
- Nasceu no Zaire (actual Congo), mas, desde muito jovem que está em Portugal. Por favor, fale-nos um pouco dos seus primeiros anos de vida.
Não nasci no Zaire. Mas. sim em Makela do Zombo. no Uige, no norte de Angola. Fui registado em Angola, mas, como o meu pai é natural do Zaire (actual Congo Democrático), decidiu registar-me também no Congo e, assim, acabei por ficar congolês.
Em 1987, devido à guerra, os meus pais tiveram que fugir do Uige e foram para Luanda. Em Luanda, ficámos até 1991, quando o meu pai decidiu tentar uma nova vida aqui em Portugal.
- Lembra-se como e quando deu os primeiros passos no atletismo?
Tudo começou com o corta-mato escolar. Eu era muito competitivo e queria sempre ganhar. Fui fazendo todos os corta-matos escolares, ano após ano, sempre sem treinar. Quando mudei de escola, conheci dos colegas que também praticavam atletismo e como saía muito cedo das aulas e à tarde não tinha nada para fazer, decidi ir treinar com eles- A partir daí, nunca mais larguei o atletismo.
 - Qual foi a primeira prova que ganhou?
Sinceramente, já nem me lembro, mas, acho que foi o G.P de Marvilla como juvenil
- Na sua opinião, o que é que mudou, no atletismo nacional, desde que começou a correr?
Quando comecei a correr, éramos muitos. Ao longo dos anos, fomos perdendo atletas de nível.
- A Jessica Augusto e a Inês Monteiro passaram a atletas individuais. Pensa que, em Portugal, as equipas de fundistas estão condenadas a acabar?
Acho que não!
- Quais são os/as jovens portugueses/as com maior futuro, no sector do meio fundo/mundo?
Joana Costa e Rui Pinto, para mim, são, neste momento, os jovens com maior futuro.
- Internacionalmente, pensa ser possível, a curto prazo, fazer face à supremacia do(a)s atletas africano(a)s neste sector? Se sim, como? Se não, porquê?
Se continuar a apostar, penso que seja possivel..
- Concorda com a naturalização em massa de atletas africanos, por parte de algumas maiores potências europeias?
Concordo, se, neste caso, for um processo de naturalização normal.
Sendo um atleta que vive no país o tempo necessário para obter a nacionalidade, porque não?
Mas, não concordo que seja concedida a nacionalidade a um atleta que esteja no país há pouco mais de um ano
- Apesar da sua ser uma situação completamente, já alguma vez sentiu “na pele” o facto de ser naturalizado?
Nunca senti.
- Que características considera indispensáveis para se estar entre os atletas de topo a nível mundial?
Muito empenho, dedicação e ambição
- Para si, qual é o seu maior feito desportivo, até ao momento?
Até ao momento,  sem duvida, o 7.º lugar no Campeonato Europeu de Corta-Mato em Dublin
 
- O que espera desta época desportiva? E, no seu futuro enquanto atleta, onde pensa que pode chegar??
Espero conseguir mínimos para o Europeu de pista ao ar livre em Barcelona. No futuro, espero um dia ir aos Jogos Olimpicos e porque não sonhar com uma medalha no Campeonato Europeu de Corta-Mato?
- No desporto, tem ídolos? E na vida? Porquê?
No desporto, os meus ídolos são, sem duvida, Carlos Lopes, Domingos Castro, Eduardo Henriques, Paulo Guerra, José Ramos e Helder Ornelas. A nível internacional: Michael Johnson, Usain Bolt, Haile GebreSselassie e Kenenisa Bekele.
Na vida, é a minha mãe, sem duvida, por tudo que passou até chegarmos aqui!
- Por ser atleta, tem que se privar de algumas coisas de que gosta?
Sim, é muito complicado, mas, tem que ser!
- Como é que consegue conciliar as vertentes familiar, social e desportiva, no seu dia a dia?
Tento descansar ao máximo e é aos fins-de-semana que aproveito para estar mais com a família e amigos.
- O que gosta de fazer nos seus tempos livres?
Gosto de ver um bom filme, ir ao cinema, ler um livro, estar principalmentecom as pessoas que fazem com que o meu mundo seja mais alegre (a minha família e os meus amigos).
- Indique-nos um disco, um livro e um filme que façam parte das suas preferências.
Livro: Deus e o Estado de Mikhail Bakunin
Disco: Sting – Field of gold 
Filme: tenho vários, mas, vou dizer o último que vi, Pandorum (2009)
- Como perspectiva o seu futuro, depois da prática do atletismo?
Neste momento, estou a tentar retomar os estudos, estou a tentar a licenciatura em ciências do desporto
- Que mensagem quer deixar, a quem lê esta entrevista?
Em primeiro lugar, não aconselho ninguém a fazer o que eu fiz, ou seja, deixar um pouco de lado os estudos para se dedicar ao atletismo, porque, mais tarde ou mais cedo, isso acaba! E o atletismo não é bem aquilo que imaginamos.

V o t o s  de  B o a s  F e s t a s

Periodicidade Diária

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018 – 16:51:54

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...