15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Leixões SC ergue 9.ª Taça em Matosinhos

Fotos: Óscar Pinto

A equipa de seniores femininos do Leixões SC ergueu hoje a Taça de Portugal ao vencer o Sporting CP por 3-1 (16-25, 25-21, 25-17 e 25-20), na Final, arbitrada por Maria Michelle Ferreira e Teresa Ferreira.


O Leixões SC é agora a equipa com mais troféus em femininos, nove, mais um do que o Castêlo da Maia GC.

 

Todos os jogos da Final 4 da Taça foram disputados na Nave Costa Pereira do Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, onde serão realizadas a Pool B de qualificação para o Campeonato de Europa de Seniores Femininos de 2021, no dias 7 a 9 de Maio, e a Pool G de apuramento para o Europeu 2021 de Seniores Masculinos, de 14 a 16 de Maio.

 

De salientar que as equipas de arbitragem, de marcadores, de anotadores e de apanha-bolas foram constituídas somente por elementos femininos, tanto nas meias-finais como na final, o que acontece pela primeira vez. Uma Final 4 totalmente feminina…

 

Sporting CP x Leixões SC, 1-3 (25-16, 21-25, 17-25 e 20-25)

1.º. Set

A equipa do Sporting entrou melhor no jogo, com Aline Timm Rodrigues a fazer valer os seus 1,92 metros de altura no bloco (5-3). Pouco depois, a central leonina aumentava o pecúlio pontual com um serviço directo (7-3). Vanessa Paquete seguiu-lhe o exemplo (9-4).

Aproveitando o bom momento da equipa, o Sporting afastou-se ainda mais (13-4).

Um ataque de Fernanda Silva estancou a hemorragia pontual (13-5) e o Leixões SC, com a mesma jogadora agora no serviço, aproximou-se um pouco mais (14-9).

Contudo,  com Aline Timm junto à rede, a equipa orientada por Rui Costa continuava a mandar no set (18-10).

Um serviço de Vanessa Paquete (22-13) alargou ainda mais as alas no caminho do Sporting para o triunfo: 25-16, com um ataque de Bruna Gianlorenço.

2.º Set


Com Fernanda Silva a servir e a central Carina Moura e a oposta dominicana Madeline Paredes no ataque, as sereias chegaram-se á frente (4-1). mas logo foram alcançadas e ultrapassadas (7-4) pelas leoas de Alvalade, mercê, sobretudo, da boa ligação entre o serviço (agressivo) e o bloco (eficaz).


O jogo entrou então numa toada de maior equilíbrio (8-8), que se prolongou no tempo (16-16), com um ataque da central Viviane Isidoro e, seguidamente, com um bloco da mesma jogadora (18-18).


Dois ataques leoninos desperdiçados, deram vantagem à formação orientada por Miguel Coelho (21-19). Uma situação que Madeline Paredes manteve com um ataque (23-21), antes da artilheira Maria Noel fixar o resultado em 25-21.

 

3.º Set


No terceiro set, as matosinhenses mantiveram a agressividade (3-1), mas as lisboetas igualaram, com dois ataques de Gabriella Rocha.


Novo distanciamento (7-4), com Maria Noel a comandar as operações ofensivas.  Um bloco de Fernanda Silva aumentou a diferença (10-6).


Os níveis de confiança das leixonenses aumentavam, mas as leoas, ansiosas por recuperar, não conseguiam responder com eficácia, desperdiçando ataques e serviços (15-10).


Também na recepção as coisas não corriam melhor e Carina Moura fez o 21-15 com um ataque ao primeiro toque.


Maria Noel, com um ataque, deu novo triunfo às leixonenses: 25-17.

4.º Set

Com Fernanda Silva no serviço, o Leixões SC adiantou-se (3-0). Um bloco de Viviane Isidoro afastou ainda mais as matosinhenses (5-1).

Um ataque de Thaís Bruzza Saraiva deu novo fôlego ao Sporting (11-12), mas um ataque desperdiçado (vareta) voltou a permitir que as leixonenses fugissem outra vez (14-11).

Este set, embora jogado mais com o coração do que com a cabeça, tinha momentos que empolgavam as poucas pessoas que puderam assistir in loco ao espectáculo (19-17).

O Leixões SC entrou na recta final do set em vantagem (22-18), com um ataque de Fernanda Silva, jogadora que colocou a sua equipa a um ponto da vitória… que apareceria num ataque falhado pelas adversárias: 25-20.

As leixonenses Maria Noel com 18 pontos, e Madeline Paredes, com 16. foram as melhores pontuadoras do jogo.

Fernanda Silva, Z4 do Leixões SC e autora de 12 pontos:
Depois de um primeiro set menos conseguido, onde não estivemos bem, concentramo-nos e seguimos o plano que tínhamos elaborado para este jogo.
Conseguimos impor o nosso jogo e acabámos por ter uma vitória justa e clara.
Amanhã é um novo dia e os play-offs vão ser uma outra página a virar no nosso percurso como equipa. Vamos começar do zero no Campeonato Nacional“.

Aline Timm Rodrigues, central do Sporting CP e autora de 7 pontos:
“Entrámos bem no jogo. Vencemos com autoridade o primeiro set, mas, depois, tirámos a mão do serviço. Deveríamos ter continuado a pressionar no serviço e a não as deixar construir as suas jogadas. Não o fizemos e elas aproveitaram, com todo o mérito, para se adaptarem ao nosso jogo e partirem, com outra confiança, para a vitória.
Agora, nos play-offs, teremos de rectificar os erros que cometemos neste jogo, sobretudo o facto de não termos mantido a consistência de um serviço pressionante e agressivo”.

Declarações dos treinadores  Miguel Coelho (Leixões SC) e Rui Costa (Sporting CP) aqui

O troféu e as medalhas referentes à Taça de Portugal foram entregues pela Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, e pelo Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol, Vicente Araújo.

Final inédita

Pela primeira vez na história das fases finais da Taça de Portugal femininas, as equipas de arbitragem (1.º e 2.º árbitros, marcador e adjunto, e os quatro juízes de linha) nos 3 jogos disputados (meias-finais e finais) foram todas do sexo feminino e sempre diferentes. Este aspecto inédito foi realçado pelo Presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Voleibol, Avelino Azevedo, que assistiu ao jogo decisivo e, no final, destacou esta aposta no sector feminino da arbitragem no Voleibol:
 
“Como ficou comprovado pelo nível das arbitragens nesta fase final da Taça de Portugal, esta é uma aposta ganha e uma consequência do trabalho cuidadoso e estrategicamente planeado que tem vindo a ser efectuado, nos últimos anos, por este Conselho de Arbitragem. Não é só o facto de termos um árbitro internacional feminino, é principalmente termos um conjunto de juízes do sexo feminino que apitam regularmente não só jogos da Primeira Divisão feminina, como da masculina, mesmo em jogos ao mais alto nível, como entre o Benfica, Fonte Bastardo, Sporting e Sporting de Espinho. E apitam, não por um critério de cotas, mas por competência e mérito próprio, pelo que, neste momento, considero que a arbitragem feminina no Voleibol é referencial em Portugal, já que em mais nenhuma modalidade colectiva tal acontece, o que nos deixa muito satisfeitos“.
 

TODOS os jogos foram transmitidos em directo pela Volei TV e pela’ A Bola TV.

 

 

Periodicidade Diária

sábado, 19 de junho de 2021 – 09:38:06

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...