15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Portugal encerra participação nos Jogos da Lusofonia com 49 medalhas

Portugal conquistou hoje mais quatro medalhas de prata na modalidade de Wushu, totalizando 13 neste desporto e 49 no total da participação lusa em Goa.

 

Vânia Gisela (-60 kg), Ana Fernandes (-75 kg), Pedro Santos (-56 kg) e Gonçalo Pinto (-65 kg) perderam os respetivos combates finais em Sanda com atletas da Índia, que dominaram por completo o pódio, deixando assim escapar a última oportunidade de conquistar uma medalha de ouro em Wushu.

 

A arte marcial chinesa, introduzida pela primeira vez nos Jogos da Lusofonia, foi a única modalidade em que Portugal não conquistou o ouro, contabilizando, contudo, o número máximo de medalhas conquistadas pelo nosso país numa só modalidade, em Goa, a par do Judo, ambas com 13.

 

Luís Madeira, Chefe de Equipa, destacou a estreia deste desporto no programa da Lusofonia como uma oportunidade. "O Torneio de Wushu apresentou um muito bom nível sendo apenas de assinalar a ausência de alguns países lusófonos. Julgamos que serão oportunidades como está que farão crescer a modalidade através do contato com a mesma e através da partilha de experiências e conhecimentos. No que diz respeito à participação nacional, correspondeu às expetativas para o torneio, apesar da na prova de Sanshou ficou a saber a pouco. A organização do torneio foi de qualidade e os nossos atletas saem de Goa com mais experiência e mais vontade de voltar aos palcos internacionais."

 

Com um total de 49 medalhas (18 de ouro, 20 de prata e 11 de bronze), Portugal ficou em segundo lugar no medalheiro, atrás da Índia, país organizador, que dominou completamente estes Jogos, somando 92 medalhas (37 de ouro, 27 de prata e 28 de bronze). Fechou o pódio Macau, com 38 medalhas (15 de ouro, 9 de prata e 14 de bronze). Com estes resultados, e dada a participação do Brasil apenas numa modalidade (Wushu), Portugal assumiu a liderança dos Jogos da Lusofonia em número de medalhas, com um total de 174 medalhas, contra 139 do Brasil, apesar de os canarinhos continuarem a dominar em medalhas de ouro, somando 64, contra 55 de Portugal. A Índia, que estava na oitava posição do ranking acumulado da Lusofonia, deu um pulo para o terceiro posto, com 102 medalhas, das quais 38 de ouro (37 delas conquistadas em Goa).

 

A cerimónia de encerramento da terceira edição dos Jogos da Lusofonia, em Goa, fechou o evento, com um espetáculo de fogo de artíficio após o desfile das várias missões participantes.

 

Artur Lopes, Chefe da Missão Portuguesa, fez um balanço positivo da participação nacional. "Estamos satisfeitos com os resultados. A nossa representação foi bastante limitada pelos motivos já conhecidos, o Brasil não participou, mas perante uma Índia que apresentou uma delegação fortíssima, e mesmo com as ausências nas modalidades coletivas, mantivemos o segundo lugar no ranking das medalhas".

 

O dirigente destacou ainda a forte emoção que marcou estes Jogos da Lusofonia. "Foi emocionante ver goeses abraçarem portugueses e outros cidadãos lusófonos de lágrimas nos olhos. É visível a ligação desta terra a Portugal. As mensagens que todas as delegações trouxeram à Índia serviram para unir ainda mais e realçar a língua portuguesa. Há anos seria impensável ouvir-se em Goa o hino nacional ou ver hastear a bandeira de Portugal. Tudo o que se passou foi importante para o futuro. A língua portuguesa saiu fortalecida e os laços de união entre os países lusófonos solidificados. O esforço da ACOLOP saiu recompensado e reconhecido, assim como a realização em Goa permitiu mostrar a todas as delegações a passagem dos portugueses por estas paragens".

Periodicidade Diária

segunda-feira, 17 de maio de 2021 – 00:05:24

Pesquisar

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...