15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Eurohockey: Portugal faz história ao assegurar, pela primeira vez, um lugar entre os 12 melhores da europa

O quarto dia do Europeu Júnior acordou aos acordes do hino escocês, seguido do da Itália. Foi um jogo bem disputado, alegre. Thomas Keenan foi o primeiro a colocar cor no marcador, jogava-se o minuto oito. Não, não foi pela Escócia, apesar de o nome ter mais a ver com aquelas paragens do que com o Mediterrâneo. Foi o único golo do primeiro tempo.
Na segunda metade, aos 43 minutos, Jack McKenzie empatou para a Escócia, mas o suspeito do primeiro golo italiano repetiu a dose e colocou a Itália na frente.
Dois minutos depois, outro nome improvável, desta vez para escocês, Hamish Imrie, repôs a igualdade no marcador quando marcou pela Escócia.
E foi esse o resultado final.



Às 17 horas, Rússia e Ucrânia jogavam pelo apuramento, podendo destronar Portugal do objectivo de ficar no grupo da frente. E começou bem para Portugal, porque a Ucrânia marcou logo aos 3 minutos, por intermédio de Ievhenii Kotiuzhynskyi. E aos 10 minutos, Deus podia ter sorrido, mas decidiu adiar. A bola rematada pela Ucrânia esbarrou estrondosamente no ferro. O que viria a repetir-se 5 minutos depois.
Aos 24 minutos, Marat Khainullin empatou o jogo, seguindo-se mais dois da Rússia: Aleksandr Gilev, aos 28 minutos, e Dimitriy Laptev, aos 31. No entanto, a Ucrânia, que estranhamente tinha recuado no terreno, conseguiu o 2-3 por Bogdan Kovalenko, nos últimos segundos do primeiro tempo.
Quando se esperava que o golo motivasse os ucranianos para o segundo tempo, voltaram a recuar, foram perdendo motivação e a Rússia passou a dominar, chegando facilmente aos 6-2 aos 45 minutos (Dimitryi Laptev, Aleksandr Gilev e Andrey Kuraev foram os marcadores dessa cavalgada). Aos 52 minutos, Aleksandr Gilev, o suspeito do costume, fez o 7-2, desesperando os portugueses mais atentos à diferença de golos, quase anulada. São Roman Bludov fez mais alguns milagres na baliza ucraniana e susteve o resultado até final.



O jogo entre Portugal e a Irlanda prometia. Com os russos nos calcanhares pela diferença de golos, e na bancada para a hipótese de ter de desempatar a pontuação com Portugal, através de lances livres (shoot-out), a equipa portuguesa não se atemorizou, pressionou e obrigou a Irlanda a alguns erros. Só que, aos 19 minutos, Simon Wolfe atirou a contar e colocou a Irlanda na frente. O perigo rondava mais a área portuguesa, mas íamos conseguindo suster as investidas, chegando o intervalo sem mais golos.
Ouviu-se, então, o Malhão ao intervalo!
No segundo tempo, Portugal manteve a pressão, mas os irlandeses eram sempre mais perigosos, quer em ataque quer em contra-ataque. Portugal parecia perdido nos cartões, com duas suspensões por amarelo quase simultâneas, escusadas, mas, com o regresso ao jogo, fomos buscar forças onde nunca pensámos que existissem, e, a 3 minutos do fim, o sonho concretizou-se: Ivo Moreira empatou o jogo e mandou os russos para a pool C, aqueles que não lutam já pelo título.
Histórico! Lugar ao sonho!


 

Armindo Vasconcelos



Resultados 4º Dia
Pool A - Escócia 2 vs Itália 2
Pool B - Rússia 7 - Ucrânia 2
Pool B - Portugal 1 - Irlanda 1

Periodicidade Diária

terça-feira, 18 de maio de 2021 – 00:38:01

Pesquisar

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...