15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Eurohockey: Portugal empata com a Rússia e continua na luta pelo acesso à pool de subida

O jogo adiado da primeira jornada, entre a Itália e a Bielorrússia, disputou-se ontem de manhã, sob intenso calor, fazendo adivinhar um jogo a passo. Não foi bem isso que aconteceu, passado o primeiro quarto de hora, ambas as equipas aumentaram o ritmo e pudemos assistir e bons momentos de perigo nas duas áreas. No entanto, só aos 27 minutos, Giaime Carta deu um safanão no marcador, ao marcar o primeiro da Itália. Só que, na resposta, os bielorrussos conquistaram um penalty, aproveitando Ivan Lutsevich para igualar, de novo, o marcador. Foi esse o resultado com que se atingiu o intervalo.
No segundo tempo, a Bielorrússia aumentou o ritmo do seu jogo, mas a Itália defendeu bem as investidas do adversário. Entretanto, as equipas encaixaram-se, repartindo os contra-ataques.
No entanto, a Bielorrússia, aos 62 minutos, passou para a frente, graças ao golo de Mikhail Pavlovich. A Itália sentiu o golo e incrementou os ataques, até conseguir o empate, aos 66 minutos, através de Bruno Mura. Esse empate a duas bolas foi, aliás, o resultado final.



O primeiro jogo da tarde opôs a Ucrânia à Irlanda, esta que era assumidamente favorita à vitória, e isso viu-se logo no aquecimento, em que a intensidade é lugar comum.
Mas há favoritos até ao momento em que a equipa adversária se fecha, e mói, e é cínica, para, num ápice, aparecer na cara do guarda-redes adversário, adornar o lance com um chapéu e fazer um grande golo. Foi aos 22 minutos, o seu intérprete: Bogdan Kovalenko.
Nada que atemorizasse a Irlanda, que no entanto sofreu para marcar. Aconteceu aos 27 minutos, por Simon Wolfe, e aos 32, por Neal Glassey, partindo para o intervalo na frente.
O segundo tempo iniciou-se praticamente com o terceiro golo da Irlanda, marcado aos 37 minutos por Lee Cole. A Irlanda continuou a dominar e chegou facilmente ao 6-1 (4-1 aos 57 minutos, por Nick Burns; 5-1, aos 63 minutos, por Jeremy Duncan; 6-1, aos 70 minutos, por Matthew Bell), o resultado final.



O último jogo opôs Portugal à Rússia, naquele que poderia ser o encontro com a permanência na Divisão B, uma vez que, se ganhasse, disputaria o grupo de subida, sem percalços. O primeiro jogo da Rússia aparentemente mostrou fragilidades inesperadas que a equipa técnica nacional monitorou insistentemente na noite / madrugada.
Portugal, no entanto, entrou nervoso, não conseguia desenvincilhar-se do espartilho adversário, e foram os russos a partir na frente, por Aleksander Gilev. Minutos volvidos, exemplarmente ao 13.º, Miguel Rodrigues restabeleceu a igualdade. Portugal chegou mesmo à vantagem, aos 23 minutos, por Ivo Moreira, mas a 4 minutos do intervalo, o mesmo Gilev fez o 2-2, que viria, entretanto, a ser desfeito, aos 32 minutos, por Mikhail Leontyiev, que colocou o marcador em 3-2 para a Rússia, resultado que se manteve até ao intervalo.
No recomeço, o jogo parecia mais vivo, cresceu entusiasmo mas a primeira dúzia de minutos não trouxe qualquer golo. Os russos eram mais consistentes, mas Rui Magalhães, aos 51 minutos, parou superiormente um penalty, mas Portugal parecia não ser capaz de dar a volta ao resultado. Nos segundos finais, no entanto, Sebastião Barros Vale marcou para Portugal, num empate que sabe a pouco.


Armindo Vasconcelos



Resultados 3º Dia
Pool A - Itália 2 vs Bilerrússia 2
Pool B - Ucrânia 1 vs Irlanda 6
Pool B - Rússia 3 - Portugal 3

Periodicidade Diária

quarta-feira, 5 de maio de 2021 – 21:55:25

Pesquisar

Como comprar fotos

Reportagens fotográficas em preparação

- CNV Estoril I - 2021

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...