Apuramento Nacionais de Clubes: sucesso organizativo e competitivo

 

 

Disputou-se hoje a fase de apuramento para os Campeonatos Nacionais de Clubes, num modelo inovador, que levou esta competição a sete locais em simultâneo: Braga (Guimarães), Leiria (Marinha Grande), Lisboa (EUL), Algarve (Faro), São Miguel (Ponta Delgada – Laranjeiras), Madeira (Ribeira Brava + RG3) e Aveiro (Vagos).

 

Esta competição, que marcou o retorno do atletismo português às grandes disputas, ainda em contexto de pandemia, ficou marcada pelo sucesso competitivo, com os atletas a mostrarem que estão em forma; e organizativo, com a comunidade atlética unida e empenhada em cumprir as regras sanitárias, promovendo a segurança de todos e criando o contexto ideal para que se cumpram grandes resultados. Atletas, treinadores, Associações Distritais e Regionais, árbitros, juízes, cronometristas, secretariado, pessoal de apoio, delegados técnicos, informáticos e dirigentes) mostraram-se unidos e empenhados, o que foi determinante para o sucesso deste novo modelo que pôs à prova o atletismo nacional, e que, no final, nos dá a confiança de que é por aqui o caminho a seguir, pelo menos, enquanto vivermos em contexto de pandemia”, sublinha Jorge Vieira, presidente da Federação Portuguesa de Atletismo.

 

Para o sucesso organizativo contribuiu a nova plataforma de apresentação de resultados em tempo real, https://www.portugalathleticsresults.pt, que aproximou a comunidade do atletismo, ao permitir o acompanhamento do desenrolar da competição em todos os locais, apresentando também os resultados coletivos provisórios.

 

No início da manhã houve um esforço coletivo para apoiar todas as equipas que ainda estavam a confirmar as suas presenças na plataforma, mas a partir do momento em que se deu início à competição, tudo decorreu com muita tranquilidade. Os horários foram cumpridos e os resultados ficaram imediatamente disponíveis, fruto da colaboração e do esforço de todas as equipas nos diferentes locais. Esta foi uma boa experiência do ponto de vista organizativo e com capacidade para se tornar numa solução de futuro”, indica José Paulo Moreira, delegado técnico da FPA que assumiu a coordenação da informação proveniente dos setes delegados técnicos.

 

Por seu turno, Ângelo Pacheco, da equipa que criou e que gere esta ferramenta de apresentação de resultados em tempo real, sublinha que “foi possível fazer listas de partida e gerar os resultados todos na hora, pelo que o saldo foi bastante positivo”. E acrescenta: “Notou-se um esforço muito grande por parte dos elementos que estavam nos diferentes locais de prova e isso contribui muito para o sucesso desta solução tão desafiante.

 

Os resultados coletivos definitivos serão publicados pela Federação Portuguesa de Atletismo, depois aferida a conformidade com os regras constantes no regulamento desta competição, como o facto de todos os clubes terem de competir com um mínimo de oito atletas, podendo as equipas integrar no máximo dois atletas estrangeiros.

 

Atletas em destaque

 

Individualmente, há a salientar boas prestações tanto do lado masculino como no setor feminino, com recordes pessoais igualados e batidos e melhores marcas nacionais do ano a registar. Da parte da manhã, em masculinos, os destaques foram Ruben Antunes, do Sporting Clube de Portugal (SCP), com 65,62 metros, no martelo; Tiago Pereira, do SCP, que saltou 16,51 metros (+1,6), terceiro melhor do ano no triplo salto; nos 110 metros barreiras desataram-se Paulo Neto, da Associação Cultural e Desportiva Jardim da Serra (ACDJS), com a marca de 14s37’, e Rasul Dabo, do SCP, com o tempo de 14s38’. Ericsson Tavares, do Centro de Atletismo de Seia (CAS), destacou-se com a marca de 48s48’, nos 400 metros, a melhor nacional do ano ao ar livre; Nuno Pereira, do SCP, com o tempo de 1m50s47’, nos 800 metros; e Carlos Pitra, também do SCP, com a marca de 4,90 metros no salto com vara, igualando o seu recorde pessoal.

 

Do lado feminino, destacaram-se as atletas do Sport Lisboa e Benfica (SLB) Arialis Martinez, com o tempo de 11s57’, nos 100 metros; Fatumata Balde, com 14s20’, nos 100 metros barreiras, melhor marca do ano; e a júnior Camila Gomes, com 2m10s60’, recorde pessoal, nos 800 metros.

 

Da parte da tarde, destacaram-se Tiago Pereira, do SCP, com 2,13 metros, no salto em altura (depois de ter vencido o triplo); Miguel Mascarenhas, da A20KM, com 5m3s,80’ nos 2000 metros obstáculos, numa prova pouco disputada em Portugal; e Wilson Pedro, do Centro de Atletismo da Baixa da Banheira, com 21s82’ (+2,7) nos 200 metros, marca com vento acima do regulamentar.

 

Entre as mulheres, Arialis Martinez, do SLB, voltou a brilhar, ao vencer os 200 metros em 23s74’; Eliana Bandeira, do SLB, lançou 16,97 metros no peso; Mariana Machado, do Sporting Clube de Braga, alcançou a marca de  4m24s78’ naos 1500 metros; Lucinda Gomes, do Grupo Desportivo do Estreito, saltou 13,16 metros no triplo (vento, +3,8), depois de vencer o comprimento com a marca de 6,09 metros (+1,5); e Joana Soares, da ACDJS, com a marca de 6m09s85’, nos 2000 metros obstáculos.

 

Foto - António Sousa

 

 

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...