18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Antevisão do Encontro Nacional Kenpo Interestilos - S. Paulo, Brasil

O Mestre Rodrigo Aliperti está a preparar o Encontro Nacional Kenpo Interestilos para dia 2 de Julho com início às 10h00 na Cidade de São Paulo, Brasil.

 

O Mestre Rodrigo Aliperti vem de uma família dedicada às Artes Marciais, tendo começado a praticar com o seu pai e o irmão.

 

Aos 18 anos o seu pai já conquista o cinto preto de Karate Shorin Ryu. O seu tio e sua mãe também praticaram a mesma Arte Marcial tendo o tio sido graduado enquanto a sua mãe e sua avó tendo somente praticado.

O seu irmão mais velho entra neste mundo com cinco anos de idade, a treinar como que um desporto de combate não definido, mas com muito interesse no bastão, nunchakus e outras armas tradicionais, assim como para aperfeiçoar a defesa pessoal e um treino especial com grande incidência em socos e pontapés.

 

Com a separação dos seus pais, Rodrigo Aliperti fica à guarda da sua mãe e treina Capoeira e Aikido. Contudo não era bem o que ele queria para si. O seu pai e o irmão iniciam-se numa nova modalidade, o Kenpo Havaiano com o Mestre Roger Chedid. O Mestre Rodrigo Aliperti volta a São Paulo em 2001, onde o pai e o irmão residiam. Aí treina Judo e Karate Shotokan numa das principais escolas da cidade e mesmo do Brasil, a Esportiva Palmeiras. Começa a praticar Kenpo com o seu pai e irmão através do Mestre Bill Ryusaki (fundador do Kenpo Havaiano). Daí para a frente a sua carreira nas Artes Marciais é sempre a somar fruto dos seus treinos diários. Em 2007 recebe o cinto preto de Kenpo. Faz em paralelo Kickboxing e Jiu-Jitsu, recebendo o seu cinto preto de Jiu-Jitsu em 2022 pela Equipe Nova União e nomeado instrutor de Kickboxing.

 

Quando em 2010 0 Mestre Roger Chedid deixa de ensinar, por motivos de saúde, pede aos seus alunos mais chegados para darem continuidade ao seu legado, o Mestre Rodrigo e seu pai. Neste momento nasce o Brazilian Kenpo, com base no estilo Havaiano, mas adaptado à realidade e necessidades do Brasil. Trouxeram para a modalidade mais alguns ensinamentos de outras Artes Marciais como o Karate, Kickboxing, Muay Thai, Jiu-Jitsu e Judo, tornando a modalidade mais de combate corpo a corpo.

Assim sendo, o Brazilian Kenpo torna-se uma modalidade reconhecida, mesmo por grandes nomes das Artes Marcias como Rodrigo Minotauro, Rogerio Minotouro, Naldo Silva, Jim Carroll, entre outros. Os últimos quatro anos do Mestre Rodrigo Aliperti reside nos EUA e aproveita para aprender Grappling e de volta ao Brasil, está confiante em levar a sua missão em frente no ensino e união do Kenpo.

Este Encontro Nacional Kenpo Interestilos é um exemplo disso. Aqui o Mestre Rodrigo Aliperti promove um dia em que os vários Mestres poderão demonstrar os seus estilos Kenpo, numa partilha de conhecimentos entre todos.

AMMA: Com a sua vasta carreira no mundo das Artes Marciais, o que o leva a seguir o Kenpo com a sua família?
Rodrigo Aliperti: Sem dúvida o que mais me interessa no Kenpo é a infinidade de possibilidades, não está limitado a uma regra especifica, ou somente um tipo, Kenpo é constante evolução.

 

AMMA: Quando era criança e o seu pai já treinava com o seu irmão, mãe e avó, teve em família o impulso para as Artes Marciais?
RA: Meu primeiro mestre foi meu pai, desde sempre treinamos juntos, a família foi o maior incentivo a seguir esse caminho.

 

AMMA: O tempo em que esteve fora de S. Paulo e treinou Artes Marciais em que percebeu que não era aquilo que procurava, conseguiu na mesma absorver delas ensinamentos que trouxe para o Kenpo?

RA: Claro, em todo caminho há ensinamentos, não era para mim, mas pude entender mais sobre aquela cultura.

 

AMMA: Já no Kenpo, que ensinamentos do Mestre Roger Chedid mais o marcaram? Como era a postura dele, dentro e fora do Dojo?
RA: O Mestre Roger foi essencial na minha formação marcial, me ensinou a dar o máximo de mim e jamais desistir. Também me ensinou a olhar para alunos e buscar compreendê-los, saber me adaptar a cada tipo de pessoa e poder entregar o meu melhor. O mestre era um cara excepcional dentro e fora, um verdadeiro vencedor, mesmo com a dificuldade física jamais perdeu alegria de viver.

 

AMMA: Quando o Mestre Roger decide terminar de praticar, por motivos de saúde e pede a si e ao seu pai para darem continuidade ao seu legado, foi uma responsabilidade muito grande para vocês. O que achou desta nomeação vinda do vosso Mestre?
RA: Com certeza foi uma responsabilidade enorme, no começo queria provar que eu era digno da recomendação. Mas no fundo eu acreditava que eu era o aluno que mais conhecia o seu estilo e poderia fazer algo a partir dali.

 

AMMA: Embora haja vários estilos de Kenpo e agora vai juntá-los neste encontro interestilos, a essência mantém-se, ou há alguns estilos que estão a perdê-la?
RA: Cada um tem sua essência, sua base, não gosto de falar dos outros, mas todos os mestres que estarão presentes são pessoas de índole boa e tem relevância em seus trabalhos. Claro que alguns se perderam no caminho, mas estes não ficarão na história. Os mestres de estilo que estarão presentes são homens de honra e que respeitam a história individual de cada um.

 

AMMA: Com o encontro que está a preparar, já tem muitas escolas de outros estilos a aderir? Esses Mestres estão com boa expectativa na partilha de conhecimentos entre estilos que seja uma mais valia para a sua Arte e sua Escola?
RA: Já temos diversas escolas aderindo, muitos professores e mestres. Acredito que todos estão com ótima expectativa para partilha de conhecimentos, uma vez que a mente se expande nunca mais voltara a seu estado anterior. O Kenpo de mesma forma, uma vez absorvida novas técnicas, jamais seremos os mesmos, esse encontro será um marco na história.

 

AMMA: Quanto tempo demorou a preparar um evento desta dimensão?
RA: Estamos há 6 meses planejando e desenhando o encontro.

 

AMMA: Quando pensou em fazer este encontro, comentou com alguém, ou começou logo a trabalhar nele?
RA: Desde o princípio partilhei com os demais mestres, e tive o apoio absoluto deles, Mauro Pellegrini, Ci Moledo (Lady Kempo), Flavio Caique e Marcio Atalaia. Estes mestres foram necessários em todo o processo desse evento.

 

AMMA: Tem o apoio de uma grande equipa na organização?
RA: Na verdade nossa equipe é bem curta. Em torno de 5 pessoas.

 

AMMA: O que espera que as pessoas sintam no final do encontro?
RA: Felicidade e honra. Um encontro como esse tem o propósito de unir e honrar aqueles que construíram o caminho da arte dos punhos. Espero que todos se sintam felizes e honrados por estar presentes em um momento tão importante a nossa arte.

 

AMMA: Para quem não conhece o Kenpo, o que lhes gostaria de deixar como mensagem, assim como o incentivo à prática de Artes Marciais no geral?
RA: Arte Marcial é um caminho, uma ferramenta poderosa de mudança de vida, de autoconhecimento e aperfeiçoamento pessoal. O treino pode te fazer mais forte, mais seguro, mais capaz e ajuda-lo em todas as áreas da sua vida.

 

Texto: Pedro MF Mestre
Fotos: Cedidas pelo Mestre Rodrigo Aliperti

 

Periodicidade Diária

sexta-feira, 1 de março de 2024 – 05:01:54

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...