14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Jogos Olímpicos - João Rodrigues não se assume como favorito mas aponta aos primeiros lugares

Velejador avança para as sextas olimpíadas da carreira

João Rodrigues não se considera favorito nos Jogos Olímpicos de Londres mas aponta aos lugares cimeiros da vela, na classe RS:X. O velejador madeirense avança para a sexta participação olímpica consecutiva e começa a competir já na próxima terça-feira.

Fora do lote de favoritos há um lote de velejadores que pode chegar aos lugares cimeiros da classificação. Eu sou um deles mas também o Ricardo Santos (Brasil), Ivan Pastor (Espanha), Toni Wihelm (Alemanha) e o Byron Kokalanis (Grécia)” mas os que têm mais pressão sobre resultados, diz o português, estão bem identificados: “Nick Dempsey, velejador da casa e que ainda este ano sagrou-se vice-campeão do mundo; o francês Julien Bontemps, atual campeão do mundo e medalha de prata em Pequim; Dorian Van Rijesselberge, o holandês voador, campeão do mundo no ano transato e vencedor do evento teste dos Jogos Olímpicos no ano passado; o israelita Sahar Zubari, medalha de bronze em Pequim é um favorito em condições de vento fraco, e o polaco Premiesev Miarksinsky, que se sagrou campeão Europeu na Madeira este ano, pode ter uma palavra a dizer em condições de vento médio a forte.

Contudo, João Rodrigues não fecha a porta a eventuais surpresas. “Da Ásia podemos esperar de tudo em condições extremas, seja de vento muito fraco ou muito forte, pois os velejadores de países como a China e Coreia do Sul têm potencial nessas condições respetivamente”, diz o português.

O velejador, de 40 anos, natural da Madeira, está há muito em Londres em treinos. No dia 18 recebeu o equipamento que vai usar nos Jogos Olímpicos e para já deixa os maiores elogios à Neil Pryde. “A sensação geral é a de que a fornecedora do equipamento fez um bom trabalho. Nos primeiros dias de treino, com o novo equipamento, ainda apanhámos resquícios das frentes atlânticas, com frio e chuva à mistura, mas também com vento, o que deu para testar o equipamento nessas condições. Nos últimos dias, finalmente o sol apareceu, parou de chover, mas em contrapartida, o vento desapareceu quase por completo. Um dia com seis nós é uma dádiva”, diz com a natural boa-disposição que o caracteriza.

João Rodrigues só começa a competir na próxima terça-feira, dia 31 de Julho, dia para o qual estão agendadas as duas primeiras regatas. Com essa ‘folga’ em termos de tempo de preparação, o velejador diz fazer questão de estar na cerimónia de abertura marcada para esta sexta-feira. “Pode ser a derradeira vez que tenha essa oportunidade e gostaria de viver estes Jogos Olímpicos tão intensamente quanto possível”, afirma.  

Periodicidade Diária

sábado, 15 de agosto de 2020 – 03:59:45

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...