13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Portugueses na Europa

 


O distribuidor da Selecção Nacional de Seniores Masculinos Miguel Tavares Rodrigues já coleccionatítulos em França. Depois de, na época passada, ter vencido a Ligue B (LBM) e subido ao escalão principal do Voleibol gaulês, na temporada em curso o Tourcoing VB – onde já jogou o libero Carlos Teixeira – assegurou já a presença nos playoffs da segunda fase da Ligue A (LAM) e… ergueu a Taça de França.

 

– O que sentiste quando venceram a Taça? Que era o corolário de uma época em pleno... ou ainda não terminaram as «surpresas»?


“É difícil pôr em palavras o que senti. Para mim, não foi uma surpresa. Apesar de não irmos rotulados com favoritos, quando se joga uma final, a este nível, tudo pode acontecer. O difícil foi chegar à final. Numa final como esta, só temos é de aproveitar o momento e divertirmo-nos, pois não sabemos quando poderemos vir a ter outra oportunidade. Acho que é um título muito importante para o clube, que já tinha ido a 6 finais da taça, e perdido sempre, e a 3 finais do campeonato e… perdido sempre. Trabalhamos muito todos os dias para atingir bons resultados. Somos muito exigentes connosco. Acho que é um bom prémio também para os jogadores”.

 

– Como é que o Tourcoing consegue subir e, na época seguinte, ganhar «logo» troféus/títulos?


“Acho que apesar de não ser um clube com um grande poder financeiro nem um dos favoritos, pois subimos o ano passado, temos os nossos objectivos bem delineados… e a taça não fazia parte deles.
O objectivo principal era assegurar a presença nos playoffs. O que já fizemos. Mas num grupo com jogadores e treinador tão ambiciosos temos de pôr sempre metas mais ambiciosas a nós mesmos. E acabámos por ser presenteados com este troféu”.

 

 

– Onde é que a equipa vai buscar esta força?


“A força do nosso clube e da nossa equipa é o colectivo. É nunca desistir. É estar a perder 0-2 e lutar ainda mais do que quando estava 0-0. Depois de termos perdido por duas vezes o segundo set (devido a uma decisão do árbitro, voltou-se atrás e repetimos o segundo set nos 24-24), entrámos no terceiro parcial e conseguimos uma vantagem de 2 pontos desde cedo e isso foi muito importante. E mudou o rumo do jogo…”.

 

– Após esta conquista motivadora, como vês a época até agora e como encaras os desafios que faltam enfrentar este ano: no clube e na Selecção Nacional?


“A época está a correr lindamente... e ainda não acabou. Temos mais dois jogos da fase regular importantes para ditar a nossa posição final nos playoffs. E depois, nos playoffs, tudo pode acontecer. O que aconteceu no ano passado é a prova disso.
Em relação à Selecção Nacional, temos muitos desafios este Verão. Espero que consigamos fazer uma preparação com muito bom nível, pois caso treinemos sempre no máximo e focados nos nossos objectivos penso que temos grandes hipóteses de nos qualificarmos para o Campeonato da Europa”.

 

 


 

sábado, 22 de setembro de 2018 – 06:15:10

Pesquisar

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...