14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Mestre "Pipa" e estudante Vale com nota máxima no arranque dos Quadros Principais

 

O primeiro dia de quadros principais no Lisboa Racket Centre foi liderado por universitários, com Ana Filipa Santos (mestre em Engenharia de Micro e Nanotecnologias) e Duarte Vale (estudante de licenciatura em Arts in Economics na Universidade da Flórida) a darem passos importantes no arranque das fases de grupos do segundo torneio do Circuito Sénior FPT.

 

Para a jogadora de Santiago do Cacém esta é a primeira semana como tenista “full time”, tudo porque até aqui teve como dupla missão a conciliação dos treinos com os estudos — e não se saiu nada mal: na quinta-feira passada defendeu a tese do Mestrado Integrado em Engenharia de Micro e Nanotecnologias, com o tema "Investigation of vo2 metal insulator transition for the application in memory devices", que concluiu com 18 valores.

 

 

"Quando joguei com a Matilde Jorge na semana passada acabámos às 23h30 e eu tinha de apresentar a tese no dia seguinte, às 10h30. Entre a adrenalina do encontro e o nervosismo da apresentação mal consegui dormir, fiquei acordada pelo menos até às duas da manhã e quando terminei foi um grande alívio”, contou já esta quarta-feira, depois de encontrar a mesma adversária e, desta vez, triunfar de forma bem autoritária: 6-1 e 6-0.

 

A número um do "ranking" da Federação Portuguesa de Ténis não se quer considerar um exemplo, mas não escondeu que "sempre tive como um dos grandes objetivos mostrar que em Portugal também podemos fazer coisas boas.” Agora que os estudos estão resolvidos, Ana Filipa Santos — “Pipa” para muitos dos que com ela se cruzam nas redondezas dos “courts” — quer focar-se "a 100%" no ténis.

 

Sempre quis seguir o ténis. "Até aqui não me foi possível fazê-lo, mas gostava muito de apostar neste desporto porque é aquilo que eu mais gosto de fazer. Gosto muito de estar em campo e de competir, mas também é preciso ter alguma sorte, não só em termos de resultados, como de lesões e até investimento. Vou tentar apostar e ver no que dá, senão terei sempre a opção B”, concluiu a quarta melhor tenista portuguesa da atualidade, que em 2019 representou a seleção nacional na Fed Cup.

 

Nos outros encontros do quadro feminino, nada de surpresas: Francisca Jorge confirmou o estatuto de primeira cabeça de série (6-0 e 6-1 a Madalena Amil), Inês Murta o de segunda (6-0 e 6-0 a Sara Neto) e Maria Inês Fonte o de terceira (ao derrotar Sara Lança por 6-4 e 6-2).

 

Entrada fulminante na segunda etapa do Circuito Sénior FPT teve também Duarte Vale, um dos melhores jogadores da história do país no circuito juvenil e que nos últimos anos optou pelo circuito universitário norte-americano. Com o regresso à Flórida em stand-by, o jogador natural de Cascais já tinha estado em destaque ao conquistar uma das edições mais fortes de sempre do Open de Oeiras, no CETO, e esta quarta-feira, no campo central do Lisboa Racket Centre, deixou evidentes as razões que fazem dele um dos melhores jogadores do prestigiado circuito universitário. A “vítima” foi uma das sensações da última semana, Pedro Araújo, que não conseguiu ter armas para contrariar o poderio de Duarte Vale e perdeu por 6-4 e 6-1.

 

 

Sinceramente nem sabia bem o que esperar. Tenho confiança no meu ténis e nas minhas capacidades de lutar, portanto acreditava que conseguia voltar a ganhar, mas sabia que podia cair para qualquer lado. Daí que o meu foco fosse mais a atitude, o deixar de estar frustrado com coisas que não posso controlar. Depois de uma paragem tão grande é fácil as pessoas ficarem desmotivadas e frustradas e o que eu quero mesmo é separar-me ao máximo dos outros nesse patamar e se possível ser o jogador com melhor atitude”, revelou Duarte Vale no final do encontro, deixando bem patente a mentalidade com que está a abordar a retoma da atividade depois de vários meses sem competir.

 

A ação no quadro masculino também ficou marcada por mais um triunfo de Nuno Borges. Depois da conquista na Vale do Lobo Tennis Academy, o maiato — que também estudou e brilhou nos EUA (chegou mesmo a ser o número um da tabela classificativa) —derrotou Fábio Coelho, que apesar de não ser da Maia treina, tal como ele, na Escola de Ténis da Maia, por autoritários 6-2 e 6-0. Luís Faria (6-2 e 6-2 ao “qualifier” Hugo Maia) e João Monteiro (6-3 e 6-4 contra Tiago Torres, que também passou o “qualifying”) venceram os restantes encontros para agarrarem a liderança dos respetivos grupos.

 

Na quinta-feira estreiam-se os nomes principais do quadro masculino: João Sousa, número 66 ATP e primeiro cabeça de série, tem encontro marcado com Tiago Torres no court central, não antes das 16h, seguido do encontro entre Gastão Elias (terceiro favorito) e Hugo Maia. A jornada arranca às 9h30, com um encontro do quadro feminino, e também vai proporcionar as estreias de Frederico Silva (segundo favorito, defronta Coelho) e Tiago Cação (quarto, mede forças com Araújo).

 

Texto - Gaspar Ribeiro Lança

Fotos - Beatriz Ruivo

 

 

Periodicidade Diária

terça-feira, 11 de agosto de 2020 – 22:31:35

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...