13 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Vice-campeão Pablo Carreño Busta regressa ao Millennium Estoril Open

 

 

Herói da reviravolta da Espanha na Taça Davis

Asturiano no melhor ranking de sempre esta semana

Ganhou primeiros títulos ATP a seguir à final no Estoril

 

Um ano após a épica conclusão da segunda edição do Millennium Estoril Open, a 3LOVE – entidade organizativa do maior evento tenístico português – anuncia que Pablo Carreño-Busta voltará ao Clube de Ténis do Estoril, entre 29 de Abril e 7 de Maio,com o objectivo de fazer ainda melhor, após ter sido semifinalista em 2015 (perdeu com Nick Kyrgios) e finalista em 2016 (sucumbiu diante de Nicolás Almagro).

 

"Achámos que este era o momento certo para assegurar o regresso do Pablo Carreño-Busta", refere João Zilhão, director do torneio. "Não só foi o herói da recuperação da Espanha na primeira eliminatória da Taça Davis no passado fim-de-semana ao garantir o ponto decisivo na Croácia como também surgiu com o seu melhor ranking de sempre na classificação publicada esta semana pelo ATP World Tour. Depois de ter sido semifinalista há dois anos e de ter passado tão perto do título no ano passado, ele acha que à terceira será mesmo de vez".

 

Por seu lado,Pablo Carreño está bastante agradado com a possibilidade de tentar mais uma vez conquistar o título português:“Estou muito entusiasmado de regressar a um torneio que nos recebe de forma fantástica e com um enquadramento para os jogadores que é dos melhores no ATP World Tour. Já estive muito perto de vencer, com meias-finais em 2015 e uma final épica no ano passado e, este ano, vou fazer tudo para chegar um passo mais à frente no Millennium Estoril Open.

 

E o vice-campeão do Millennium Estoril Open tem razões para estar confiante, já que volta com a experiência de saber o que é triunfar no ATP World Tour. A experiência adquirida na equilibrada final diante de Nicolás Almagro ajudou-o a ganhar dois títulos nos meses seguintes, curiosamente em hardcourts após os desaires no encontro decisivo na terra batida de São Paulo e do Clube de Ténis do Estoril. 

 

O primeiro surgiu em Agosto, em Winston-Salem (EUA), onde derrotou dois adversários do top 20: Pablo Cuevas (que lhe tinha ganho em São Paulo) e, noutra longa final, Roberto Bautista-Agut, através dos parciais de 6-7 (6/8), 7-6 (7/1) e 6-4, num encontro de duas horas e meia em que só se registou um break. Dois meses mais tarde, em Moscovo, o tenista Asturiano conquistou um segundo troféu do ATP World Tour ao vencer Fabio Fognini no derradeiro encontro da Kremlin Cup. Tal como na final de Winston-Salem, cedeu o primeiro set, mas continuou a lutar até virar o encontro a seu favor, naquela que é uma das duas imagens de marca. Aliás, três dos encontros por ele ganhos em Moscovo foram em três sets.

 

Com dois títulos, Pablo Carreño-Busta igualou os compatriotas Rafael Nadal e Bautista-Agut no número de títulos conquistados na época passada, e elevou para 10 o número de triunfos de tenistas espanhóis no ATP World Tour, o máximo em termos de países em 2016.

 

Este ano, a crescente maturidade de Pablo Carreño-Busta ficou bem visível no último domingo, quando foi chamado a disputar o quinto e decisivo encontro da difícil eliminatória da Taça Davis, na Croácia. E o tenista espanhol não desiludiu os compatriotas e a “afición”, derrotando Nikola Mektic, por 7-6 (7/4), 6-1 e 6-4, e colocando a Espanha nos quartos-de-final do Grupo Mundial – defrontando a Sérvia, de Novak Djokovic, três semanas antes do início do Millennium Estoril Open.

 

Nascido em Gijón há 25 anos, mas a residir em Barcelona, Pablo Carreño-Busta é o mais jovem espanhol no top 100 do ranking ATP (é preciso descer ao 144.º posto para encontrar um compatriota mais novo) e figura actualmente no 25.º lugar, a sua melhor classificação até ao momento. Um posto que reflecte os excelentes resultados alcançados nas últimas 52 semanas.

 

Mas as suas façanhas não se resumem ao singulares. Em 2016, Pablo Carreño conquistou igualmente dois títulos em pares: em Pequim (ao lado de Nadal) e Quito (com Guillermo Duran). Foi ainda quatro vezes finalista nessa variante, com destaque para o US Open, ao lado do compatriota Guillermo Garcia-Lopez (com quem formou a primeira dupla não cabeça de série a chegar tão longe no Grand Slam norte-americano desde 2000), perdendo somente para uma das melhores duplas do mundo, formada por Jamie Murray eBruno Soares. Este ano, Carreño eGarcia-Lopezcimentaram a posição no top 10 da variante, ao atingir as meias-finais do Open da Austrália. Individualmente, Pablo Carreño chegou à terceira ronda, saindo de Melbourne Park com o seu melhor ranking de carreira.

 

MOLDADO POR UM TREINADOR DE CAMPEÕES

 

Ao atingir as meias-finais da edição inaugural do Millennium Estoril Open, Pablo Carreño-Busta não esteve longe de cumprir um arrojado vaticínio do seu antigo treinador Javier Duarte feito em 2013, quando o seu pupilo atingiu as meias-finais do Portugal Open após ultrapassar a fase de qualificação: «Já fui campeão três vezes em Portugal, com Carlos Costa (1994), Alex Corretja (1997) e Alberto Berasategui (1998). O próximo a ganhar será Pablo Carreño», disse então o lendário 'Dudu'.

 

É certo que o torneio que esses seus três pupilos venceram no Jamor foi extinto e o novo evento português do ATP World Tour se realiza noutro lado, mas a premissa mantém-se apesar de ser agora acompanhado tecnicamente por Samuel Lopez eCesar Fabregas. Aliás, o rapaz de Gijón mostrou toda a sua qualidade no Clube de Ténis do Estoril no ano passado, ao ficar a escassos pontos do título no segundo set de uma intensa final de duas horas e 47 minutos perdida diante do compatriota e mais experiente Nicolas Almagro: 6-7 (6/8), 7-6 (7/5) e 6-3. Os resultados consequentes no ATP World Tour confirmaram a fase ascendente da carreira de Pablo Carreño-Busta, que chegou a estar em perigo, em 2012, quando uma hérnia discal o forçou a uma intervenção cirúrgica.

 

Em 2013, a coleção de sete títulos Future alcançada (com 35 encontros ganhos consecutivamente!), os quatro troféus Challenger conquistados e a prestação de semifinalista no Jamor valeram-lhe a ascensão de 650 lugares para acabar a época como 66.º na hierarquia e ser eleito como 'Most Improved Player of the Year' pelo ATP World Tour – após ter revelado uma prometedora estreia no circuito profissional em 2011 ao somar cinco títulos Future e fechar essa temporada no 136.º lugar do ranking.

 

BILHETES À VENDA

 

A partir de amanhã (11 de Fevereiro), todos os amantes do ténis poderão comprar o seu bilhete para a edição de 2017 do Millennium Estoril Open, um evento que é incontornável no panorama desportivo português. Para os maiores fãs, foram ainda preparadas as variantes ‘Pack Torneio’ e‘Pack Finais’.

 

As crianças até aos 6 anos têm entrada gratuita no recinto (exceto no Estádio Millennium) desde que acompanhadas por um adulto; o recinto dispõe de um Kids’ Place, gratuito para crianças dos 3 aos 6 anos. A idade mínima para aceder ao Estádio Millennium (Court Central) é de 6 anos.

 

A aquisição dos ingressos pode ser feita na Blueticket (www.blueticket.pt), bilheteira oficial do Millennium Estoril Open 2017e nos locais habituais.

 

 

Periodicidade Diária

sábado, 17 de agosto de 2019 – 10:42:45

Pesquisar

Vamos ajudar a Oksana

Maryna Sribnyak
IBAN: PT50 0035 0614 0000 9327 930 65
SWIFT: CGDIPTPL
clicar na imagem para saber mais

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...