15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

GD Toledos vence 1.ª mão da meia-final por 3-0

 

A equipa do GD Toledos, da ilha do Pico, venceu o GDCS Juncal por 3-0, na 1.ª mão da meia-final da Fase Final do Campeonato Nacional masculino da 1.ª Divisão e precisa apenas de vencer três sets para garantir a presença na final disputada no Centro de Alto Rendimento de Vila Nova de Gaia.

 

A 2.ª mão está marcada para sexta-feira, a partir das 16h00.

 

No encontro desta quinta-feira, que durou 1h30, Diogo Silva venceu Idowu Saheed por 3-0, o mesmo resultado obtido por Énio Mendes perante o russo Andrei Bukin.

 

Boboye Oyenyan começou por sentir algumas dificuldades na partida com o jovem David Bessa de apenas 16 anos, tendo perdido os dois primeiros parciais. No terceiro set recuperou e não perdeu mais nenhum parcial.

 

Todos os encontros da Fase Final têm transmissão em direto nas páginas de Facebook e Youtube da Federação e nos canais A Bola TV e RTP Açores.

 

Pedro Moura

 

As competições estão interrompidas desde o dia 13 de março, devido à situação que todos conhecemos, mas foi possível organizar esta Fase Final. Começámos a preparação deste evento há aproximadamente um mês, desde que foi aberta a possibilidade de se realizar competições desportivas. Esta é a primeira competição indoor que se realiza em Portugal neste processo de desconfinamento e é um grande orgulho para a Federação Portuguesa de Ténis de Mesa. E um momento muito especial para a nossa modalidade e que espero que seja também um momento especial para o desporto português.

Depois da 2.ª mão da Final de domingo vamos encerrar a temporada desportiva de ténis de mesa e vamos ajudar a preparar os nossos clubes, toda a nossa comunidade, atletas, treinadores e árbitros para regressarmos em setembro, com saúde e com as cautelas que a nova realidade nos obriga para que tenhamos uma época desportiva dentro da nova normalidade a que todos estamos obrigados”

 

Diogo Silva, treinador e atleta GD Toledos

 

Sabíamos que ia ser muito difícil, dado que estivemos muito tempo sem competição, faz toda a diferença. É difícil sobretudo para manter os níveis de concentração durante o jogo todo. Entrei um bocado receoso por causa disso, mas consegui contornar bem e no final correu bem. Consegui ser um bocadinho mais consistente do que o adversário, mas os erros são por ter estado tanto tempo sem competição.

Foi uma vitória importantíssima, por 3-0, e não estava a contar com este resultado. Achei sempre que ia ser um jogo equilibrado. Tanto eu como o Énio entrámos bem e fizemos logo o 2-0, o que nos deu uma motivação ainda maior. Sabíamos que o terceiro jogo ia ser muito difícil, mas depois de estar a perder por 2-0 ter dado a reviravolta por 3-0 foi importantíssimo para nós, porque amanhã podemos vir para o segundo jogo com um à vontade maior. Vai ser na mesma muito difícil, mas a pressão é diferente. Ando há muito anos no ténis de mesa e já vi de tudo. Não quer dizer que este 3-0 nos leve já diretamente à final. Amanhã temos que entrar no jogo exatamente com a mesma motivação e concentração para tentar ganhar todos os jogos que vamos disputar.”

 

Idowu Saheed, atleta GDCS Juncal

 

O meu adversário é um bom jogador e na segunda partida perdi a oportunidade de vencer. Perdi um pouco a concentração e cometi alguns erros.

 

Énio Mendes, atleta GD Toledos

 

Inicialmente pensava que o jogo ia ser mais equilibrado, porque estive parado muito tempo. Mas entrei bem, focado, e joguei bem taticamente. Quando é assim e não se deixa o adversário jogar torna-se difícil para ele. Joguei com mais inteligência e tornou-se mais fácil.”

 

Andrei Bukin, atleta GDCS Juncal

 

Depois de quatro meses de quarentena é difícil jogar. Não estava concentrado. Foi o primeiro jogo depois de uma longa paragem.”

 

Boboye Oyenyan, atleta GD Toledos

 

Senti algumas dificuldades no início porque há muito tempo que não jogava e não treinei com a minha equipa. No terceiro set consegui recuperar porque ouvi o que os meus colegas me disseram para mudar no meu jogo. Felizmente ele pediu um time out, quando eu estava a perder, e mudei a minha maneira de jogar e consegui vencer.”

 

David Bessa, atleta GDCS Juncal

 

Acho que joguei bem os dois primeiros sets e depois perdi o foco e a concentração. Tenho pouca experiência a este nível. Joguei mal taticamente nos últimos sets.

 

Bruno Silva, treinador GDCS Juncal

 

Estava à espera de tudo menos de um resultado final assim, tão desnivelado. Não consegui ver nem metade daquilo que os meus atletas conseguem fazer. Este tempo todo parados refletiu-se bastante no jogo deles. Houve algum nervosismo também. Tudo isto é um pouco novo, sem público, com esta longa paragem, e não souberam gerir da melhor forma. Ficaram muito aquém daquilo que normalmente conseguem fazer. Amanhã vamos lutar ponto a ponto, até ao fim.

 

GD Toledos, 3 – GDCS Juncal, 0

 

Local: Centro de Alto Rendimento de Vila Nova de Gaia

Árbitros: Celeste Araújo / Rui Oliveira (Aveiro)

Diogo Silva, 3 – Idowu Saheed, 0 (11-7, 11-8, 12-10)

Énio Mendes, 3 – Andrei Bukin, 0 (11-3, 11-5, 11-8)

Boboye Oyenyan, 3 – David Bessa, 2 (5-11, 6-11, 11-8, 11-8, 11-7)

Treinador GD Toledos: Diogo Silva

Treinador GDCS Juncal: Bruno Silva

 

 

Periodicidade Diária

quarta-feira, 30 de setembro de 2020 – 16:16:58

Pesquisar

Como comprar fotos

Reportagens fotográficas em preparação

- 12 Horas do Estoril - Pitlane-Treinos Livres
 
publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...