14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Liga Moche - Sumol Porto Pro: Disputa pelos títulos nacionais de surf acende para a semana

Com a realização do Sumol Porto Pro, terceira etapa da Liga MOCHE, circuito que reúne os melhores surfistas portugueses nas melhores ondas do país, a disputa pelos títulos de Campeões Nacionais volta a estar na ordem do dia.

 

Depois de um interregno de mais de um mês, dias 22, 23 e 24 de Maio a principal competição do surf nacional regressa às ondas na Praia Internacional, para uma das etapas mais acarinhadas pelo público, que aparece sempre em força para ver e incentivar os melhores surfistas do país.

 

No circuito masculino, Tiago Pires lidera o ranking nacional, após uma vitória e um segundo lugar nas duas primeiras etapas. “Saca”, o surfista português mais internacional, é seguido de perto por Frederico Morais (vencedor da segunda etapa) e Vasco Ribeiro (tri-campeão nacional em título), finalistas nesta etapa nos últimos três anos. Vasco venceu duas vezes e Frederico uma, não sendo de estranhar um tira-teimas em 2015.

 

Mas estes três surfistas terão de contar seguramente com uma forte concorrência de atletas como Tomás Fernandes, Miguel Blanco, Pedro Henrique, Filipe Jervis, Marlon Lipke, José Ferreira, Gony Zubizarreta, Nicolau Von Rupp, Justin Mujica, Guilherme Fonseca ou Ruben Gonzalez e Eduardo Fernandes, semi-finalistas em 2014. Entre outras surpresas, há que contar sempre com os locais João Guedes e Sebastião Furtado, ou com a nova geração da Invicta, muito bem representada por António Rodrigues, João André ou Tomás Ferreira.

 

Nas senhoras, o ranking nacional é liderado pela actual campeã nacional em título, Teresa Bonvalot, de 15 anos, também com uma vitória e um segundo lugar. Teresa é seguida pela grande surpresa de 2015 até agora, Carol Henrique, tendo ainda Carina Duarte e Keshia Eyre empatadas na terceira posição e outra boa surpresa, a ainda júnior Mariana Assis, no quinto lugar.

 

“Esta é uma etapa que me diz muito, pois foi aqui que venci pela primeira vez uma prova nacional,” lembra Teresa Bonvalot. “Vou sempre com o objectivo de ganhar, mostrando o meu melhor surf, mas o nível este ano está ainda mais elevado, o que é bom. No início do ano fiz uma viagem à Austrália, muito importante para a minha evolução enquanto pessoa e atleta, onde vi e vivi o surf profissional como nunca antes... acho que vim de lá com outra maturidade e com uma visão mais clara do caminho que quero seguir!.. E isso tem-se reflectido também na competição, o que é excelente,” conclui a jovem campeã.

 

Carina Duarte, bi-campeã nacional, foi uma das atletas portuguesas que esteve com Teresa na Austrália, afirmando ter sido esta “a viagem mais importante que já fiz! Foi tudo bom! O convívio entre as portuguesas, com as australianas, as ondas, o ambiente... senti claramente uma evolução no meu surf. Isso ainda não ficou demonstrado em resultados na Liga MOCHE, talvez porque este ano tenha menos campeonatos internacionais, mais espaçados entre eles e se calhar isso quebra um bocado o ritmo... mas tenho óptimas recordações da etapa do Porto, onde já venci e quero voltar a vencer. Como diz o mote deste ano, amigas amigas, ondas à parte!”

 

A terceira surfista portuguesa no início do ano na Austrália foi Camilla Kemp, que também recorda essa viagem com muito entusiasmo. “Foi sem dúvida uma das viagens mais importantes que já fiz!,” recorda. “A evolução sente-se logo e a maturidade competitiva também. Acho que ficámos as três ainda mais amigas, mas nas provas a amizade fica na areia. Para todas é importante vencer!... Como não pude competir na primeira etapa da Liga MOCHE deste ano, vou ter de acelerar agora em todas as outras, para tentar conquistar o título. Fiz a final no Porto nos dois últimos anos e agora gostava de chegar ao lugar mais alto do pódio,” conclui Camilla,Spo que venceu a segunda etapa da Liga MOCHE deste ano, a sua primeira. 

 

A Liga MOCHE 2015, que distribui mais de 70.000€ de premiação aos surfistas, regressa assim às ondas da Praia Internacional, no Porto, dias 22, 23 e 24 de Maio.

 

Ao nível dos troféus paralelos, o Sumol Porto Pro contará também com a Renault Expression Session, um espectáculo à parte em que só a melhor manobra interessa para a vitória, sendo atribuídos, nas cinco etapas, 2.500€ anuais aos seus vencedores.

 

Também em disputa nesta terceira etapa estará o Ramirez Junior Award, um troféu que premeia os melhores juniores da Liga MOCHE com 2.500€ anuais e que conta com objetivos intercalados ao longo das cinco etapas mas que, no caso específico do Porto, terá o seu foco nos surfistas Sub-16 masculinos.

 

Todas as etapas da Liga MOCHE têm transmissão em direto no MEO Kanal 202020; pela internet, em www.liga.moche.pt; na app mobile Surf MOCHE, bem como na RTP e n’A Bola TV, através de resumos dedicados.

 

O Sumol Porto Pro é uma organização da Associação Nacional de Surfistas e da Fire!, com o patrocínio do MOCHE, Sumol, Allianz Seguros, Renault, Ramirez, Red Bull, o apoio local do Município do Porto, os parceiros oficiais RTP, GO-S.TV e Puro Feeling, bem como os media partners Mega Hits, A Bola, Surf Portugal, ONFIRE e Beachcam, contando também com oapoio técnico da Federação Portuguesa de Surf.

Periodicidade Diária

sexta-feira, 20 de setembro de 2019 – 05:28:39

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...