Red Bull Cliff Diving World Series - Itália depois dos Açores

 

 

UMA VARANDA COM SAÍDA PARA O ADRIÁTICO

 

À terceira etapa do Red Bull Cliff Diving World Series, as paisagens intocadas dos Açores dão lugar a uma beleza talhada pelo homem. Polignano a Mare é o destino que se segue, já no próximo fim-de-semana (22 e 23 de julho), com os melhores atletas do mundo a regressarem a um cenário pitoresco e familiar: os saltos rumo ao mar Adriático são feitos a partir de uma varanda! A luta pelos lugares cimeiros está ao rubro, com pressão máxima sobre os líderes.

 

 

Com um curto intervalo de apenas duas semanas, a elite dos saltos para a água de grande altura regressa à ação já no próximo fim de semana (22 e 23 de julho). A etapa açoriana do Red Bull Cliff Diving World Series foi particularmente rica em surpresas, abrindo o sonho do título a um leque mais vasto de atletas – alguns arredados das vitórias há anos. Tal como o ilhéu de Vila Franca do Campo, o ambiente que espera agora os 22 atletas de nove países é também familiar. A estância balnear de Polignano a Mare – considerada por muitos um local mítico da modalidade - recebe desta feita o circuito mundial pela quinta vez.

 

 

O cenário é o oposto do apresentando nas duas primeiras etapas, na Irlanda e nos Açores, com a natureza a dar lugar às construções humanas feitas nas escarpas do idílico bilhete postal de Polignano a Mare. Os saltos têm como destino as águas quase sempre calmas do Mar Adriático, mas a grande imagem de marca reside mesmo no local onde são montadas as plataformas de 21 e 27 metros de altura. Para esta jornada de saltos a organização alugou uma casa no centro da vila, montando as estruturas da competição na respetiva varanda!

 

Apesar da modesta prestação nos Açores – não foi além do 12º lugar – Artem Silchenko é apontado como um dos favoritos da etapa, que já venceu por duas vezes. Além do russo, são candidatos naturais à vitória o britânico Gary Hunt e o colombiano Orlando Duque – dois rivais com motivações bem diferentes. Hunt sonha com o sétimo título, enquanto Duque quer voltar a sentir o prazer de vencer – um patamar do qual estava excluído há vários anos. Nas mulheres, a pressão promete manter-se sobre a australiana Rhiannan Iffland, que está a recuperar de uma lesão e tem em Adriana Jimenez (México) e Ana Baden (Alemanha) as principais opositoras.

 

As finais da etapa italiana são acompanhas em direto no dia 23 de julho na  Red Bull TV: https://www.redbull.tv/live/AP-1RZDU6YKD2111/red-bull-cliff-diving-world-series.

 

CALENDÁRIO 2017

 

24junho               | Inis Mór, IRLANDA

9julho                     | S. Miguel, Açores, PORTUGAL

23julho                  | Polignano a Mare, ITÁLIA

3 setembro        | Texas, E.U.A.

16setembro    | Mostar, BÓSNIA HERZEGOVINA

21outubro         | Lago Ranco, CHILE

 

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL 2017 (Após 2 etapas)

 

MASCULINOS

1º Gary Hunt

GBR

330 pts

Orlando Duque

COL

310 pts

3º Blake Aldridge

UK

220 pts

4º Steven LoBue

EUA

190 pts

5º Jonathan Paredes

MEX

180 pts

6º Andy Jones

EUA

170 pts

7º Kris Kolanus

POL

130 pts

8º David Colturi

EUA

120 pts

Kyle Mitrione Wildcard

EUA

90 pts

10º Sergio Guzman

EUA

58 pts

 

FEMININOS

1º Rhiannan Iffland

AUS

290 pts

2º Ginger Huber

EUA

270 pts

3º Adriana Jimenez

MEX

250 pts

Helena Merten

AUS

230 pts

5º Yana Nestsiarava

 Wildcard

BLR

160 pts

5º Tara Hyer-Tira

Wildcard

EUA

160 pts

7º Ana Bader

GER

130 pts

8º Cesilie Carlton

EUA

120 pts

 

Créditos fotográficos: 
Romina Amato/Red Bull Content Pool
 
 

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...