14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

José Lopes melhorou o seu recorde nacional dos 800 livres no Funchal

 

 

José Lopes esteve em plano de destaque ao bater o recorde nacional dos 800 livres no último dia do Open de Portugal - CIMAI/MYRTHA Campeonatos Nacionais de Juvenis e Absolutos Funchal 2019. Campeonatos marcados por cinco recordes nacionais absolutos ao longo de quatro dias de competições entre um total de 20 máximos de Portugal.

 

O Sporting com 27 medalhas foi o clube que mais atletas colocou nos pódios do Open de Portugal (10 ouro,11 prata,6 bronze).

 

José Lopes (SC Braga) conclui os 800 livres em 8.02,16 minutos, superando o anterior máximo que estava fixado em 8.03.80 pelo próprio na 30.ª Universiada de Nápoles a 07-07-2019. Este é o terceiro titulo, no Funchal, do pupilo de Luís Cameira, depois de vencer os 400 e 1500 livres. Rafael Gil, Sporting, (8.13,20) e Pedro Santos, FC Porto (8.31,24), segundo e terceiro, respetivamente.

 

José Lopes: “Apesar de ter batido o recorde nas Universiadas, quase há um mês, senti-me melhor aqui no Funchal e consegui esse objectivo. Senti que estava em ritmo de recorde nacional apenas nos últimos 200 metros, quando vi o publico a apoiar. A quem desde já agradeço esse apoio.

 

Ainda hoje, nos juvenis, Diogo Ribeiro voltou a estar em destaque ao bater no último dia de provas o máximo nacional dos 100 livres com 52,51.  O anterior máximo já pertencia ao nadador do União de Coimbra com 52.60, em Coimbra, a 14-07-2019. Antes já havia superado os máximos de juvenis B dos 200 livres e 100 mariposa.

 

No plano individual, destaque ao longo dos quatro dias para as vitórias de Tamila Holub (1500 livres, 200 livres, 400 livres e 800 livres) Ana Rodrigues (100 bruços, 50 bruços, e 50 livres e 100 livres), José Lopes (1500 livres, 800 livres, 400 livres e 200 estilos) e Alexis Santos - 50 costas, 50 bruços e 100 livres ajudando ainda nas vitórias do Sporting nas quatro estafetas.

 

Quanto aos 20 recordes batidos no Funchal destaque para os máximos absolutos.

 

Alexis Santos superou no dia 1 do Campeonato o recorde nacional absoluto dos 50 costas. O nadador do Sporting, acabado de regressar do Mundial de Gwangju, venceu a final com 25,42 segundos, melhorando os 25,44 que detinha desde 14 de abril deste ano no Jamor. O pódio ficou completo com o também sportinguista Francisco Santos (25,68) e o benfiquista Miguel Nascimento (26,05).

 

Ana Guedes melhorou também o máximo absoluto nacional nos 50 mariposa no decorrer do primeiro dia do Open de Portugal - CIMAI/MYRTHA Campeonatos Nacionais de Juvenis e Absolutos Funchal 2019. A nadadora do Ginásio de Vila Real, que nas eliminatórias fez 27,59, venceu a final com 27,00 segundos, superando o anterior máximo de Portugal (27,27) de Sara Oliveira, a 7 de abril de 2011, em Eindhoven (Holanda).

 

Ana Pinho Rodrigues esteve em plano de destaque no sábado, dia 3, ao bater o recorde nacional absoluto dos 50 livres no terceiro dia do Open de Portugal. A nadadora do Sanjoanense/FEPSA, superou o recorde nacional dos 50 livres com a marca de 25,56 segundos, melhorando a melhor marca nacional que já lhe pertencia desde 28 de julho de 2018 no Jamor. A portuguesa, que é recordista nacional também dos 100 livres, 50 e 100 bruços somou a sua terceira vitória no Funchal depois dos triunfos nos 50 e os 10 bruços.

 

Ainda no dia 3, o Sport Algés e Dafundo - Rafaela Azevedo, Raquel Pereira, Rita Frischknecht e Ana Sousa - venceu a estafeta dos 4x50 estilos, com 1.56.39 minutos, superando o recorde nacional absoluto de clubes (1.56,50) na posse do Futebol Clube do Porto - Marta Vieira Marinho, Joana Catarina Carvalho, Sara Freitas Oliveira, Alexandra Paiva Oliveira – desde 10-04-2010 em Coimbra.

 

Em bom plano esteve também Tomas Lopes (FOCA) ao superar o recorde nacional de juniores 17 nos 200 livres, com 1.52.84, o terceiro lugar na final A. O anterior recorde (1.53.20) já pertencia também a Tomas Lopes em Kazan (Rússia) a 06-07-2019.

 

Em Juvenis, três recordes nacionais deste escalão etário no dia 3. Mariana Cunha e Paulo Vakulyuk, em juvenis A, e Diogo Ribeiro, em juvenis B, bateram os máximos nacionais das respetivas categorias na prova de 100 mariposa. Vakulyuk (CNTN) venceu com 56,05. O anterior recorde de 56,11 pertencia a Pedro Oliveira desde 29-07-2004 em Lisboa.

 

Diogo Ribeiro (CUC-União de Coimbra) foi segundo com 56,61 e melhorou o seu recorde nacional de 57,23 de 06-04-2019 em Coimbra. O nadador de Coimbra bateu já no Funchal o recorde de 200 livres (1.53,96). O anterior máximo (1.54.85) já pertencia a Diogo Ribeiro em Baku (Azerbaijão) a 25-07-2019.

 

Bem esteve também Mariana Cunha (Fluvial Portuense) ao terminar os 100 mariposa com 1.01,69 minutos, melhorando a marca que já detinha, com 1.01,86, em Baku a 24-07-2019.

 

Ainda em juvenis, a Associação Desportiva Bairro dos Anjos bateu o recorde nacional dos 4x100 livres de juvenis B no segundo dia do Open de Portugal - CIMAI/MYRTHA Campeonatos Nacionais de Juvenis e Absolutos Funchal 2019. Após baterem o máximo de Portugal dos 4x200 livres, na jornada de abertura, o quarteto de Leiria – Guilherme Castanheira, Vitor Clara, Ricardo Faria e Rodrigo Reis – terminaram com 3.44,52 minutos, melhorando o máximo do FC Porto - João Miguel Ascensão, Eduardo Salgado Ramos, Jorge Miguel Nunes, Rúben Oliveira Lopes -  (3.45,99) realizado no Jamor a 27 de julho de 2012.

 

De referir que os três primeiros dos 400 estilos, respetivamente João Vital (Sporting), com 4.18,98, José Lopes (SC Braga), com 4.20,67, e Gabriel Lopes (Louzan), 4.22,52, obtiveram marcas de mínimos para os Campeonatos da Europa. João Vital e José Lopes confirmaram as marcas já obtidas esta época. Já Gabriel Lopes, com mínimos nos 200 estilos, obteve agora marca nos 400 estilos.

 

António José Silva, presidente da FPN em balanço: “Muito positivo, não só o balanço destes campeonatos, mas de toda a época, que foi altamente exigente, mas altamente proveitosa. Obtivemos cinco atletas com mínimos de integração para o projeto olímpico e três muito próximos de integrar. Excecionais campeonatos mundiais de piscina curta em Hangzhou, na China, em dezembro [de 2018], a melhor classificação de sempre nos mundiais de piscina longa, em Gwangju, na Coreia do Sul, em julho, e estes campeonatos foram o culminar desta época com 20 recordes batidos, cinco dos quais absolutos. Uma moldura excecional, uma organização exemplar. Agradeço muito o apoio da Câmara Municipal do Funchal e do Governo regional da Madeira, via secretaria regional do Turismo, secretaria regional da Educação e a Associação de Natação da Madeira. Conseguimos nestes quatro dias, nesta moldura humana digna de registo, obter resultados, com 110 clubes, 740 nadadores, muitos familiares e a piscina sempre cheia, a assistir. Foi um momento único de propaganda e de divulgação da natação. Significa que o trabalho foi bem feito. Estava apontado para os campeonatos mundiais [em Gwangju, na Coreia do Sul, em julho], mas, fruto de vários circunstancialismos, algumas marcas não saíram e sabíamos que, mais tarde ou mais cedo, iriam sair como aconteceram aqui. O caminho é este. É continuar a trabalhar, com uma estratégia e objetivos muito bem definidos, num sentido de, no Ano Olímpico, o momento mais alto e mais importante da época, que encerra o ciclo 2016-2020, consigamos obter o registo que já nos foge desde 1984, que é a final olímpica. Estou convencido que, em Tóquio, vamos ter essa final olímpica.” 

 

Diretor à Prova: Alexsander Esteves

 

Responsável Técnico: José Machado e Paulo Franco 

 

 

Periodicidade Diária

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019 – 09:35:31

 

 
Feliz Natal e um
 
Próspero Ano Novo
 
 
Boas Festas!
 

 

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...