14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

33.º FIM Motocamp foi sucesso enorme na visita ao Alto Douro Vinhateiro: Mototurismo em colheita «vintage»

Merci. Gracias. Thank you. Danke. Grazie. Aitäh. Tack. Dank je wel. Kiitos. Hvala. Dèkojame. Takk. Obrigado! Em suma, o sentido agradecimento, deixado em todas as línguas dos 19 países que marcaram presença no 33.º FIM Motocamp/Portugal 2014, foi a prova do enorme sucesso de evento de características únicas que reuniu 400 motociclistas no Alto Douro Vinhateiro. Boa disposição que marcou três dias de mototurismo em cenários de enorme beleza, na descoberta de região que é, muito justamente, Património da Humanidade.

 

Perfeitamente rendidos aos encantos da mais antiga região vitivinícola demarcada no Mundo, os motociclistas que criaram a maior lista de inscritos do Motocamp nos últimos 8 anos deram por muito bem empregues os milhares de quilómetros efetuados até Sabrosa. Epicentro da aventura de descoberta, da gastronomia ao folclore, das paisagens aos monumentos, do acolhimento à simpatia das gentes, com quartel-general instalado no moderno e bem dotado parque de campismo Natur Water Park, bem na fronteira com Vila Real, em três dias de programa bem recheado. E que mereceu, por completo, a classificação de colheita «vintage» entre os eventos mototurísticos organizados sob a égide da Federação Internacional de Motociclismo.

 

Aposta ganha pelo Moto Clube do Porto que, com apoio das autarquias de Sabrosa e Vila Real, delineou programa repleto de motivos de interesse, permitindo ainda aos muitos motociclistas que aproveitaram a viagem para conhecer melhor o norte do País, na descoberta de uma região ímpar. Da visita à cidade do Porto, com passagem pelas caves do famosíssimo néctar, em Vila Nova de Gaia, e por alguns dos mais emblemáticos locais da Mui Nobre, Leal e Sempre Invicta Cidade, incluindo cruzeiro no Douro, com direito a sessão de fado servido em ambiente condizente, até à descoberta do processo de plantação e colheita, produção e armazenamento, dos famosos vinhos do Douro, nas instalações da Quinta Nova de N.ª Sr.ª do Carmo. De permeio, a essência do mototurismo, em quilómetros de fabulosas paisagens, por estradas oferecedoras de enorme prazer de condução, pelas encostas que circundam o rio Douro. E que continuariam no passeio à Régua, já integrado no programa e que contou com parte da viagem de barco e outra de comboio, em mescla por todos apreciada, com passagem pelo Pinhão onde os 24 painéis de azulejos que decoram a estação de caminhos-de-ferro ganharam esperado protagonismo, eternizado em centenas de fotografias. Afinal, foi tempo de muito minuciosa exploração dos meios de transporte que, anos a fio, contribuíram na deslocação das gentes e mercadorias, promovendo o desenvolvimento de região desbravada a pulso pelos homens e mulheres que, ao longo de séculos, criaram uma paisagem única.

 

Parada das Nações e os prémios... do prazer mototurístico

 

Mas o ponto alto do 33.º FIM Motocamp/Portugal 2014, de marcante espetacularidade e colorido, atraindo milhares de pessoas para as estradas para ver passar a caravana de 278 motos, oriundas de 19 países, foi a Parada das Nações. Com animada passagem em S. Martinho de Anta, terra que viu nascer Miguel Torga, e paragem em Sabrosa, berço do grande navegador Fernão de Magalhães, e Vila Real, onde foi servido animado almoço. Quase tão animado como o jantar de encerramento do evento, onde foram atribuídas distinções aos motoclubes presentes e distinguidos os vencedores dos troféus Espana Challenge, entregue ao britânico Mayflower Motorcycle Club que, com 40 mototuristas inscritos, foi dono da maior representação; Ferrucio Colucci, para a federação com maior número de condutores e passageiros presentes (FFM, França, com 94 pessoas) e o mais desejado FIM Trophy que contabiliza os quilómetros realizados pelos inscritos em cada federação, e ganho pela Auto Cycle Union, ACU, da Grã-Bretanha.

 

Distinções que, acima de tudo, refletem o entusiasmo dispensado ao melhor das viagens de motos, do prazer de conduzir às aventuras gastronómicas, da descoberta de paisagens únicas em passeios por cenários de esfusiante beleza à confraternização em redor das motos. Partilha de experiências e itinerários, de memórias de viagens e projetos de novas descobertas entre motociclistas originários da Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Eslováquia, Estónia, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Holanda, Irlanda, Itália, Marrocos, Portugal, República Checa, Rússia, Suécia e Suíça. Dos que viajaram poucas centenas de quilómetros até ao motociclista que veio de mais longe, o finlandês Mauri Parkkonen, que cumpriu 4349 entre Helsínquia e Sabrosa aos comandos de improvável Suzuki DR-Z 400, a solo (188 participantes) ou com passageiro (90), homens (257) e mulheres (21) com média etária de 54 anos. Números que espelham enorme experiência da caravana em evento de características únicas, a começar pelo facto de todos terem de acampar para candidatar os seus motoclubes e respetivas federações aos diversos prémios instituídos, e que contou com importante apoio da Associação Douro Histórico/Abordagem Leader-PRODER e do Turismo do Porto e Norte.

 

Aventura de descoberta para os mais novos, uma passageira de 15 anos, como para os mais experientes, o francês André Charbonnier de 80 anos, que viajou na companhia de Annick Miau, de 71, integrados na grande caravana que deu nota máxima ao evento organizado pelo Moto Clube do Porto, subindo, e muito, a fasquia para a organização do Motocamp 2015, de 10 a 12 de junho, em S. Petersburgo, Rússia.

 

Paulo Ribeiro - M.C.P.

Periodicidade Diária

terça-feira, 17 de setembro de 2019 – 14:47:41

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...