BTT: o que ingerir antes e depois?

BTT e ciclismo. Duas modalidades bem na “moda” e comuns de norte a sul do país. Após uma longa e saturante semana de trabalho nada melhor que uma atividade ao ar livre, em contacto com a natureza, sem caminhos e regras rígidas onde somos nós quem escolhemos o início, o meio e o fim. Nem todos estamos dispostos a estar fechados num espaço partilhado por mais umas dezenas de pessoas, e a pedalar em frente a um espelho, ao som de alguma música  que mais parece vinda de uma discoteca  às 3 da manhã num sábado ànoite.

O gosto pelo desporto e a escolha do BTT como hobby sem dúvida são excelentes opções, mas será que nos preparamos devidamente para tal? Luvas, capacete, sapatilhas de encaixe ? Sim, todos os usam pois querem tirar o melhor partido possível de um dos melhores e mais relaxantes momentos da semana, mas e quanto a cuidados com a alimentação? Será que existe uma devida preparação nesse aspecto? De que serve ter todo o equipamento técnico se depois falhamos no combustível? De que adianta ter um formula 1 se depois esquecemos de lhe colocar combustível? OK, podemos tê-loestacionado na garagem, mas acho que todos iríamos preferir dar umas voltas nele.

O que ingerir antes?

Avançando a analogia, sem dúvida que é fundamental ter cuidados com os alimentos que ingerimos para tirar máximo partido da atividade que vamos praticar, neste caso BTT. Antes de começarmos a pedalar temos que “carregar” o nosso corpo com calorias. Precisamos de uma boa dose de hidratos de carbono, neste caso particular (antes da atividade) de absorção lenta. Ingerir boas quantidades de alimentos como arroz (basmati e integral de preferência), massa integral, batata doce, aveia ,são a energia que precisamos fornecer ao nosso corpo para podermos tirar partido realmente do momento que nos estamos a proporcionar.

 A questão que se coloca é: exatamente quando devemos ingerir-los? Devemos começar a sua ingestão no dia anterior. Uma boa refeição com hidratos ao jantar na véspera da atividade é essencial. Claro que não é conveniente um jantar muito pesado, pois caso assim fosse também não teriamos uma noite de sono descansada, o que nos iria prejudicar fisicamente. Vamos usar sempre o q.b. É uma boa medida a tomar. De manhã acordamos certamente cheios de energia para nos metermos na estrada, e é nesta altura que devemos voltar a ingerir uma dose de hidratos. Uma taça de aveia é uma excelente opção.

Posto isto, já “carregámos” as nossas reservas de energia e estamos na condição ideal para darmos ínicio à “pedalada”.  Durante a atividade, e dependendo da duração (mais de 3horas), podemos considerar o uso de uma bebida isotónica, caso contrário, água é suficiente.

O que ingerir depois?

Terminado este momento, é muito importante começar a fornecer ao nosso corpo os nutrientes que ele perdeu, e o que ele precisa para recuperar do esforço ao qual foi submetido. Uma recomendação prática e fácil passa pela ingestão de hidratos de carbono de absorção rápida e uma fonte proteica também de absorção rápida . Um batido composto por dextrose(30 a 50g) e whey protein(30g) seria o ideal. Desta forma fornecemos energia ao corpo e prevenimos o catabolismo muscular. Ao evitarmos o catabolismo (degradação muscular) asseguramos a manutenção da nossa performance numa próxima saída, que sem dúvida é o que todos procuram. A vantagem de usarmos whey e dextrose passa pela sua rápida velocidade de absorção, pois isso leva-nos também a uma recuperação mais rápida e a um melhor bem estar.  Na próxima refeição de faca e garfo, novamente uma boa fonte de hidratos de carbono, acompanhada por uma fonte proteica, carne ou peixe.
Com estes pequenos cuidados asseguramos quer uma melhor performance durante a atividade, quer uma maior e melhor recuperação após a mesma.

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...