Boas Festas

12 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

19ª vitória absoluta para a Porsche em Le Mans numa fase final dramática

 

 

Às 18h30m de sábado, o Porsche 919 Hybrid de Earl Bamber (NZ), Timo Bernhard (DE) e Brendon Hartley (NZ) parecia dizer “Adeus” às 24 horas de Le Mans. Sem tração no eixo dianteiro, esteve em reparação durante uma hora e cinco minutos, retomando a corrida com 18 voltas de atraso para o líder. Mas a 85ª edição da clássica prova de endurance em Le Mans, gerou um guião com alterações dramáticas e possibilitou o impossível tornar-se realidade: após um enorme esforço, o trio desbravou terreno desde a 56ª posição até à vitória à geral. Para o recorde da Porsche em Le Mans, esta é a 19ª vitória na mais dura competição do mundo e a terceira vitória consecutiva.


Para Earl Bamber é a segunda vitória à geral em Le Mans ao volante do Porsche 919 Hybrid depois de 2015. Timo Bernhard também regista a sua segunda vitória à geral em Le Mans. Depois de o ter conseguido em 2010 quando foi “emprestado” à Audi, Timo Bernhard sonhava repetir o feito com a Porsche. Brendon Hartley era, sem dúvida, o mais faminto dos seis pilotos de fábrica da Porsche LMP por este título, uma vez que o seu nome ainda não estava gravado neste importante troféu.


Como correu a fase final para o carro número 2:


Quando o carro número 1 parou na pista, pouco passava das 11h da manhã, depois de liderar a corrida por mais de 10 horas, chegava o momento dos caçadores. Hartley continuava a forçar o andamento num turno duplo. Na volta número 312, entra nas boxes para o seu último reabastecimento e à 325ª volta entrega o carro a Bernhard na quarta posição. Às 12h50m, o 919 Hybrid entra na mesma volta do líder da corrida – estávamos na volta 330. Depois de todos os LMP1 híbridos de fábrica terem abandonado ou estarem extremamente atrasados, um LMP2 liderava a prova. Após 338 voltas, Bernhard entra nas boxes para reabastecimento e na volta 347 assalta a liderança da corrida. O seu penúltimo reabastecimento dá-se na volta 351 antes de efetuar uma paragem rápida na volta 360. Após 367 voltas, Bernhard vê a bandeira de xadrez e cumpre-se mais um sonho.

Declarações após a corrida:


Michael Steiner, membro do Conselho de Direção da Porsche AG como responsável de Investigação e Desenvolvimento: “A terceira vitória consecutiva em Le Mans é um sonho tornado realidade para a Porsche e a forma como se conseguiu este feito é muito especial. Estou orgulhoso de toda a equipa Porsche, que se conseguiu superar, apesar da longa paragem que tivémos de forma a reparar a avaria. Este êxito também é alcançado graças ao excelente rendimento dos nossos motores elétricos e à inovadora tecnologia híbrida”.

 

Fritz Enzinger, Vice-Presidente do Projeto LMP1: “Um dos nossos ambiciosos objetivos para a temporada de 2017 era alcançar a terceira vitória consecutiva em Le Mans. Mas o que tivémos que passar ao longo das últimas 24 horas não imaginava nem no pior dos meus pesadelos. Esta prova de 24 horas levou tudo e todos ao limite. É incrível o que se pode conseguir com o esforço de uma equipa. Algumas vezes não é o carro mais rápido, mas o melhor rendimento como equipa que marca a diferença. Esta equipa é a melhor de todas e tornou possível o êxito de hoje. A reação de todas as partes está a ser avassaladora, desde os empregados da Porsche a todas as pessoas do mundo. Pessoalmente só posso agradecer à Porsche por me colocar nesta posição para dirigir um programa tão extraordinário como este, e a cada um dos membros da equipa pelo apoio total e pelo grande espírito de grupo”.

 

 

Andreas Seidl, Diretor da Equipa: “É difícil encontrar palavras para o que se sucedeu aqui hoje. Os pilotos e toda a equipa fizeram um trabalho impressionante. Deixámos para trás duas semanas duras de trabalho que nos proporcionaram altos e baixos, mas lutámos com o espírito típico da Porsche. Vai levar algum tempo até assimilarmos aquilo que alcançámos aqui hoje. Agora ganhámos em Le Mans por três vezes consecutivas, o que é algo sensacional. A equipa trabalhou de forma impecável para isso durante os últimos doze meses. A Toyota é um concorrente muito forte. Levaram-nos, mais uma vez, ao limite e ainda mais além e ambos pagámos o preço disso. É uma pena que Neel Jani, André Lotterer e Nick Tandy tenham desistido porque já estavam a controlar a vantagem há muito tempo. Mas Earl Bamber, Brendon Hartley e, especialmente Timo Bernhard, mereciam a vitória. Timo foi o piloto de desenvolvimento desde o início do programa. Depois dessa longa reparação, os três conseguiram recuperar a desvantagem que tinham e, no final, obtiveram a recompensa”.

 

Pilotos do Porsche 919 Hybrid número 2: Earl Bamber (26 anos, Nova Zelândia): “Não consigo acreditar como conseguimos alcançar isto depois de termos estado no fim do pelotão devido à paragem de uma hora nas boxes. Tanto Brendon como Timo fizeram parte do programa Porsche LMP desde o início e este triunfo devemo-lo à nossa equipa das boxes. Sem o seu trabalho árduo não teríamos conseguido regressar à pista, pelo que esta vitória é para eles”.

 

Timo Bernhard (36 anos, Alemanha): “Parece surreal. Quando me juntei à Porsche como piloto júnior, em 1999, fui alimentando cuidadosamente o sonho de que, quem sabe, um dia teria a oportunidade de lutar pela vitória absoluta em Le Mans. Esperava ser bom o suficiente para a alcançar um dia. Agora, 18 anos depois, conseguimo-lo juntos. A última volta foi muito emocionante para mim. Vai demorar algum tempo a assimilar o que aconteceu”.


Brendon Hartley (27 anos, Nova Zelândia): "Le Mans é uma prova de loucos. Os mecânicos trabalharam duro no sábado à tarde para termos o carro reparado num tempo recorde e desde esse momento, Timo, Earl e eu, juntamente com os nossos engenheiros, forçámos muito o andamento, sempre a 100%, e esperávamos desesperadamente que os nossos esforços nos trouxessem alguma recompensa”.

 

 


 

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017 – 06:25:06

Pesquisar

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...