14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AM|48

 

A Baja TT Vindimas do Alentejo, que após o infortúnio de setembro passado, foi obrigada a ser adiada por motivos de força maior, para os próximos dias 7, 8 e 9 de fevereiro, vai ter as honras de ser a primeira prova do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AM|48 2020.


Organizada pelo CPKA – Clube de Promoção de Karting e Automobilismo em parceria com a Sociedade Artística Reguenguense, tem Humberto Silva como Presidente da entidade organizadora da prova. Para a época que se avizinha, Humberto Silva não tem dúvidas de que as expectativas são bastante elevadas. «É fantástico, que a Baja TT Vindimas do Alentejo, logo na sua primeira edição, tenha o privilégio de ser a primeira prova do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno de 2020. Esperamos que venha a ser uma prova do agrado de todos os pilotos, sendo este o objetivo principal desta Baja». Mais do que uma alteração em termos de data, para 2020, a própria versão da prova sofreu algumas alterações, com mudanças em grande parte do percurso. «Atendendo que o traçado é muito rápido e variado, conseguimos desenvolver uma boa mistura de pista, intercalado com algumas zonas lentas devido às condições climatéricas de inverno, o que vai implicar ter alguma água». Superado o objetivo, é hora de pensar mais além. «Queremos internacionalizar a prova, visto que à data já se encontram inscritos vários pilotos espanhóis, e pode ser que ainda seja possível termos alguma surpresa na véspera da prova».
 
Desafio UMM Tucha


Outra novidade, não só ao nível desportivo, mas com algum cariz glorioso, será o regresso dos UMM´s, que irão participar no DESAFIO UMM TUCHA, que certamente vai ser mais um grande polo de atração. Esta corrida destinada aos UMM, está englobada numa homenagem a Carlos Barbosa, mais conhecido por ´Tucha´, o mais antigo piloto e mecânico ainda em atividade, que ao longo de toda a sua vida tem estado ligado à UMM, marca que foi pioneira do Todo-o-terreno em Portugal e que muito ajudou a construir o Campeonato de Portugal, presentemente considerado como um dos melhores do Mundo. «Este desafio é um fator determinante para cativar os pilotos que são proprietários dos antigos UMM Troféu e Protótipos, para colocarem estas máquinas a competir, com baixos custos de participação e enriquecer também desta forma a Taça de Portugal».

Baja Solidária


Ainda sobre a prova, durante a Baja TT Vindimas do Alentejo, o CPKA vai angariar e promover entre as equipas, pilotos, patrocinadores, entidades oficiais e o público em geral, a aquisição de bens alimentares, para serem doados diretamente à ´Caritas de Beja´, que se dedica a alimentar diariamente cerca de 250 pessoas, das mais carenciadas do concelho de Beja.
 
Beja – A Rainha das Vindimas


Humberto Silva não tem dúvidas: a cidade renasce com a Baja TT Vindimas do Alentejo. «Não é só em Beja, como em todo o Baixo Alentejo, tudo começa por mudar ao nível da restauração e hotelaria, visto que toda esta região fica esgotada, como verificámos em setembro passado, já que não existia um quarto livre e os restaurantes estavam com as reservas totalmente preenchidas. Mesmo com o adiamento da prova, muitas equipas decidiram permanecer na região e beneficiar de um fim de semana no Alentejo, aproveitando para fazer enoturismo.


Uma prova que será diferente, logo à partida pelo tempo, pela pista, mas também na sua organização. De forma a corresponder às necessidades dos pilotos, mas também de todos aqueles que fazem quilómetros para os ver correr, existirá «alojamento gratuito para concorrentes, assistentes e voluntários da Baja, proporcionado pela colaboração do Exército Português através do Regimento de Infantaria N.º 1 (RI1), que cede através do CPKA as suas instalações em Beja, a todos que tenham dificuldade em obter alojamento na zona, e queiram dormir gratuitamente em camaratas».


Com algum saudosismo à mistura, Humberto Silva desvendou apenas o essencial. Certo é, que a Baja promete surpreender, mas mais do que isso, pretende ser um encontro de emoções, não só pelo ambiente que se vive, mas pelo espetáculo que proporciona. Por outro lado, o «público do baixo Alentejo está ansioso, por voltar a ter na sua região uma prova de Todo-o-Terreno, visto que por lá já se realizaram e passaram grandes provas, como os Montes Alentejanos, a Baja 1000, o Dakar e mais recentemente o Rali Pax».


De forma a melhorar a organização do evento, para 2020 o CPKA vai permitir «num único pavilhão e de uma forma inédita em Portugal, vamos ter o comando da prova, o secretariado, as verificações documentais, o gabinete de imprensa, bem como serão realizadas igualmente as verificações técnicas. Neste mesmo espaço, vai ainda ter lugar a Expo Baja, onde os nossos patrocinadores podem expor as suas entidades, empresas e produtos. Ao nível do parque de Assistência, não só duplicámos o espaço que já existia, como criámos uma zona de lavagem para todos os veículos, antes de entrarem na sua assistência». 

TIAGO REIS – O Campeão improvável de Todo-o-Terreno em 2019


Um título inesperado? Ou talvez não. Tiago Reis iniciou-se na modalidade há apenas quatro anos. Para trás, ficam os títulos ganhos na Montanha, tendo-se inclusive, em 2013, sagrado Campeão de Portugal de Montanha Absoluto. Mas a paixão já não era a mesma! «Deixei o Nacional de Montanha porque senti que não andava lá a fazer nada».

De malas e bagagens, mudou-se para outro terreno, mas só o carro lhe interessava. Em 2016, o piloto famalicense estreou-se no Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, muito por influência do seu pai. «Após ter sido Campeão de Portugal de Montanha sempre idealizei um dia fazer o Campeonato de Todo-o-Terreno, e quando fui ver o meu pai a participar na Baja de Portalegre, não tive dúvidas e pensei que era mesmo esse o momento, por toda a envolvência e a mística destas provas, fazia todo o sentido mudar naquela altura e não me arrependo. Sinto-me realizado.»
Sorte ou destino? Tiago Reis arriscou numa modalidade sem nunca lá ter corrido. Uns podem chamá-lo de louco, ele apenas lhe chama sorte. De principiante? Não quis saber de rótulos, estava sem palavras para absorver o que lera, ou melhor, o que conquistara – o primeiro título absoluto de Todo-o-Terreno.

Foi precisamente na Baja de Portalegre, em 2019, que Tiago Reis e Valter Cardoso concluíram com sucesso um campeonato em que estiveram em muito bom plano. Apesar de terem terminado a prova na sexta posição da geral, a dupla do Team Transfradelos conseguiu alcançar o grande objetivo de conquistar o primeiro título absoluto na modalidade. Uma conquista pessoal, mas que Tiago não teria conseguido sem a ajuda do seu navegador. «Foi um momento de alegria imensa, não tenho palavras para descrever. Foi uma luta até ao último quilómetro e quando acabei, não parecia realidade. Tudo isto não seria possível sem o Valter, por todo o apoio, a sua persistência e a força que ele tem e me dá para vencer. Não seria possível sozinho».
Para a nova época, Tiago Reis vai continuar a fazer o que melhor sabe – entregar-se de corpo e alma em cada competição. Melhor momento? Tem vários, mas agora só um lhe vem à cabeça. O título que conquistou, naquele que considera ter sido «o campeonato mais difícil e o mais competitivo.»

E por falar em novos desafios, o que espera da Baja TT Vindimas do Alentejo? «Essa corrida para mim é uma novidade. Não conheço, vai ser tudo novo…».

Que comece o Campeonato e Baja Baja TT Vindimas do Alentejo.

 

 

Periodicidade Diária

quinta-feira, 4 de junho de 2020 – 09:00:38

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...