12 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Citroën Vodafone Team de regresso ao Nacional - Equipa vai estrear o C3 R5 em 2018

 

 

  • O Citroën Vodafone Team prepara-se para regressar ao Campeonato de Portugal de Ralis (CPR), com a aposta na revalidação dos títulos - Pilotos e Navegadores - alcançados pela equipa há duas temporadas, pela dupla José Pedro Fontes/Inês Ponte.

  •  

  • A equipa prevê alinhar nas 9 provas de uma temporada que se inicia em Fafe, em meados de Fevereiro, terminando a meio de Novembro, no Algarve.

  •  

  • Com a motivação em alta para a presente temporada, o Citroën Vodafone Team irá utilizar duas viaturas, iniciando-se o ano com o fiel e comprovado DS 3 R5, modelo vitorioso por diversas vezes e detentor dos títulos conjuntos de 2015 e 2016, a que se seguirá o novo Citroën C3 R5, o mais recente modelo de competição com assinatura Citroën Racing.

  •  

  • A preparação das viaturas manter-se-á a cargo dos profissionais da Sports & You.

  •  

O Citroën Vodafone Team está de regresso ao Campeonato de Portugal de Ralis (CPR) numa aposta que volta a recair em José Pedro Fontes, que se prepara afincadamente para abraçar uma temporada em que, por um lado, se pretende retomar o caminho das vitórias, e, por outro, revalidar os títulos que, em conjunto, se alcançaram em 2015 e 2016.

 

Coloca-se, assim, um ponto final no interregno a que a equipa se viu obrigada a fazer devido ao acidente sofrido aquando do Vodafone Rally de Portugal, numa prolongada ausência que apenas se viu interrompida pontualmente, pela participação do Citroën Vodafone Team nos ralis da Madeira e de Mortágua, recorrendo-se, então, a pilotos cedidos pela Citroën Racing.

 

O Citroën Vodafone Team está, assim, a preparar-se para o arranque do CPR 2018, cuja primeira prova se irá realizar em Fevereiro próximo, na região de Fafe, num projeto que continua a ter José Pedro Fontes no papel de piloto oficial da formação: “É com enorme alegria que anunciamos o nosso regresso ao Nacional de Ralis, quer em termos da equipa Citroën Vodafone Team, quer de mim próprio e da Inês Ponte, assim que tal seja possível por parte dela. Foi grande, enorme mesmo, este intervalo que se tornou obrigatório para que ambos pudéssemos recuperar devidamente dos ‘estragos’ provocados pelo nosso grave acidente em maio último, seguindo à risca as instruções das nossas equipas médicas, a quem aproveito para agradecer publicamente todo o trabalho realizado para a nossa total recuperação,” refere Fontes.

 

Um regresso que se fará no Rali Serras de Fafe, em Fevereiro próximo. “Num projeto desta envergadura, o nosso principal objetivo consiste, naturalmente, na revalidação dos títulos de Pilotos e Navegadores que conquistámos em 2015 e 2016, embora haja várias outras questões a equacionar, nomeadamente o modo como nos iremos sentir no interior deste excelente automóvel de competição que, por muito confortável que o possamos tornar, no sentido de minimizar os danos no nosso processo de recuperação, não deixa de estar associado à dureza típica de uma prova de estrada. Claro que antes do arranque da temporada iremos realizar vários testes de adaptação, mas uma coisa são esses ensaios privados, outra coisa é a competição real, no terreno de jogo. Vamos iniciar o ano com algumas cautelas e a apalpar terreno e, caso tudo esteja perfeito do lado humano, vamos, decerto, alcançar um bom resultado em Fafe.

 

 

Mas a novidade maior da formação Citroën Vodafone Team será a estreia do novo Citroën C3 R5, a mais recente proposta da Competição Cliente da Citroën Racing, modelo que está, neste momento, a ultimar os preparativos para o processo de homologação. “Em face dessa realidade temporal, o meu objetivo será fazer a estreia do novo C3 R5 no Vodafone Rally de Portugal, o que a acontecer seria ouro sobre azul, pois não só seríamos uma das primeiras formações a usá-lo numa prova do WRC, como também nos permitiria partir em busca de um bom resultado que nos fizesse ‘esquecer’ o nosso acidente na anterior edição. Estamos a envidar todos os esforços para que tal aconteça, mas ainda nada está assegurado quanto à data em que o iremos poder estrear”.

 

O piloto acrescenta ainda que “assinalamos o crescendo em torno do CPR, com mais marcas envolvidas no campeonato e, com elas, o regresso de pilotos de renome, junto com as enormes qualidades dos nossos habituais adversários, pelos quais nutrimos o maior respeito. As notícias que já têm vindo a público para a nova temporada de 2018 do CPR, nomeadamente ao nível da categoria R5, permitem antever equipas extremamente competitivas e muito bem preparadas, algo que não nos irá facilitar a tarefa, tornando as lutas pelos lugares de topo difíceis, mas também muito mais interessantes. Daqui a mês e meio veremos em que patamar é que cada um se coloca, definindo a partir de então a estratégia para as provas seguintes.

 

Em termos de preparação, quer o atual DS 3 R5 quer o futuro Citroën C3 R5 estarão nas mãos especializadas dos técnicos da Sports & You, “num conjunto de pessoas que, nos bastidores da equipa, realizam um trabalho incrível e determinante para que possamos ter o nosso carro sempre impecável e 100% competitivo”, afirma José Pedro Fontes. O piloto sublinha que “se trata de uma estrutura altamente profissional e multi-vitoriosa, que ostenta no seu palmarés uma invejável coleção de Campeonatos nas mais variadas vertentes do desporto motorizado (ralis, velocidade e todo-terreno).

 

Por último, e não menos importante, o Citroën Vodafone Team vai iniciar a temporada com Paulo Babo a substituir Inês Ponte, situação que se manterá até a navegadora Campeã Nacional estar totalmente recuperada. Além de um currículo vasto e muito rico, Paulo Babo conta já com algumas provas ao lado de José Pedro Fontes, nomeadamente no ano de 2010 quando venceram o Rali Vidreiro.

Para além do envolvimento direto da Citroën e da Vodafone, como patrocinador principal, mantêm-se como parceiros deste projeto de ralis as marcas Milaneza, ExpressGlass e Total.

 

DUAS GERAÇÕES “R5” COM ASSINATURA CITROËN RACING

 

Do comprovado DS 3 R5…

 

Integrando inúmeras evoluções ao longo do seu processo de desenvolvimento, o DS 3 R5 da Citroën Vodafone Team está perfeitamente apto a enfrentar o CNR 2018. O modelo integra um motor turbo de injeção direta de 1.6 litros, com 280 cv, tração às quatro rodas, caixa de velocidades sequencial, suspensões McPherson.

 

… à grande novidade CITROËN C3 R5

 

Oficialmente estreado no final do ano passado, no Rali do Var, última prova do Campeonato de França de Ralis, como “Carro 0”, o C3 R5 é a mais recente proposta da Competição Cliente da Citroën Racing para os ralis internacionais, nomeadamente ao nível da categoria R5. Contará, por isso, com elementos mecânicos semelhantes aos do modelo que irá substituir, a médio prazo: quatro rodas motrizes, motor 1.6 turbo com injeção direta e cerca de 280 cv, caixa de velocidades manual/sequencial, etc.


CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS do DS 3 R5   


MOTOR   

Tipo:     EP6 CDT (Transversal, à frente)   

Cilindrada:     1598 cc (4 cilindros, 16V)   

Potência (cv.DIN):     280 cv às 6 000 rpm   

Binário (Nm):     400 Nm às 2 500 rpm   

Regime máximo:     7500 rpm   

Injeção:     Magneti Marelli   

Admissão:     Borboleta simples   

CHASSIS

Estrutura:     Coque + Estrutura Tubular    

Suspensão:     Pseudo Mac Pherson (à frente/atrás)    

TRANSMISSÃO

Modo:     4 rodas motrizes   

Embraiagem:     Duplo disco    

Caixa de velocidades:     BV5 (comando sequencial)    

Diferencial:     2, autoblocantes   

DIREÇÃO

Tipo:    Direta, de assistência hidráulica   

TRAVÕES

À frente/atrás:     Alcon 4 pistons/ Alcon 4 pistons   

Diâmetro:     300 (terra)/355 (asfalto)    

JANTES E PNEUS

Asfalto    Jantes: Alumínio monobloco 8x18''   

    Pneus: 225/40R18   

Terra    Jantes: Alumínio monobloco 7x15“   

    Pneus: 215/65R15   

DIMENSÕES

Comprimento x Largura:     3 948 x 1 820    

Distância entre eixos:     2 460 mm   

PESO

Peso mínimo:     1 230 Kg (asfalto/terra)    

 

AS 9 PROVAS DO NACIONAL DE RALIS 2018

 

O Citroën Vodafone Team prevê alinhar na totalidade das 9 provas que compõem o Campeonato de Portugal de Ralis 2018, temporada que se divide entre 4 ralis de asfalto e 5 jornadas em terra, prolongando-se entre meados de fevereiro e de novembro.

 

Entre os 7 ralis a disputar no continente inclui-se o Vodafone Rally de Portugal, prova pontuável para o Mundial de Ralis (WRC) e cujo patrocinador é comum à equipa.

 

Novidade este ano é a subida ao escalão maior das provas de estrada do Rali de Amarante Baião, assumindo o lugar ocupado até ao ano passado pelo Rali Casino de Espinho no CNR.

 

José Pedro Fontes e Inês Ponte irão ainda atravessar parte do Oceano Atlântico para alinhar nas restantes 2 provas, o Azores Airlines Rallye (em São Miguel), pontuável para o Europeu de Ralis (ERC), e o Rali Vinho Madeira, pontuável para o Iberian Rally Trophy (IRT) e para o Tour European Rally Series (TER).
 

 


 

sábado, 21 de julho de 2018 – 01:42:06

Pesquisar

Reportagens fotográficas em preparação

- Rolex TP52 World Championship 2018 - Cascais

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...