14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

Notícias

Ester Alves está de volta a Zegama–Aizkorri, a maratona de montanha mais mítica do calendário do trail running mundial

 

A maratona de montanha mais mítica do calendário mundial regressa no próximo dia 2 de junho com os seus 42.195km e 5472m de desnível acumulado, e a atleta da Salomon Suunto Portugal, Ester Alves, terá novamente a oportunidade de os percorrer.

 

Megan Kimmel, Maite Maiora, Yngvild Kaspersen e Eli Gordón são as favoritas à vitória, mas Ester leva o brilho especial nos olhos de quem voltará a percorrer  aquela que é considerada acorrida mais épica do mundo.

 

Kilian Jornet, Stian Angermund-Vik, Rémi Bonnet e Aritz Egea são os grandes nomes na frente masculina.

 

Chega no próximo domingo dia 2 de junho, a maratona de montanha mais esperada do calendário do trail running mundial, Zegama – Aizkorri, no país basco em Espanha.A corrida que todos os apaixonados pela montanha desejam viver e correr pelo menos uma vez na vida. Com os seus 42.195 km e 2736 metros de desnível positivo de sofrimento, felicidade e satisfação pelo traçado no maciço de Aratz e a Serra de Aizkorri. Será também a primeira prova das Golden Trail World Series.

 

Este ano foi, mais uma vez, um recorde. Mais de 10.000 sonhadores fizeram o pré-registo, mas apenas 500 sortudos terão oportunidade de alinhar na partida no domingo às 9 da manhã para começar a correr. E a atleta da Salomon Suunto Portugal, Ester Alves é um deles. Esteve pela primeira vez em 2015 numa edição ganha por Azaria García, mas muito disputada entre esta, Paula Cabrerizo (2.ª), Oihana Kortzar (3.ª) e Emelie Frosberg (4.º). Para Ester voltar a Zegama é um sonho, “porque é a corrida com mais personalidade do trail”. Refere a atleta.

 

Quando penso em Zegama, penso na origem e alma do trail: vencer as dificuldades da montanha pura. Aqui não existem prémios de finisher, nem medalhas, nem abastecimentos abastados; existe o trilho e a honra de participar no ambiente mais intenso de trail running do mundo, onde todos vibram”. Reforça Ester Alves.

 

A dificuldade e tecnicidade desta maratona são bem conhecidos, mas a sua beleza também. Os atletas terão a oportunidade de percorrer os picos mais altos do país basco: Aratz, Aizkorri, Aketegi e Andraitz e pisar as suas pedras escorregadias, zonas íngremes de rocha viva, áreas arborizadas e pastagens altas.

 

Os corredores partem do centro de Zegama, para se dirigirem ao monte Aratz (1.445 m), o primeiro dos quatro, situado ao km 16. Daí seguirão até um dos pontos mais famosos da prova,Sancti Spiritu, ao km 19, onde a pele se arrepia e se ouvem os gritos de ânimo e os aplausos dos espectadores, que os acompanharão os atletas até ao pico de Aizkorri (1.523 m), o mais alto do percurso ao km 22,5.

 

Uma extensão, em que apesar de quererem caminhar, o ânimo e calor do público, impedem-nos de o fazer. Daqui os participantes dirigem-se a Aketegi (1.551 m), ao km 23,2, para descer e voltar a subir até Andraitz (km 30) adicionando dor, cansaço e felicidade nas pernas. E sempre acompanhados desta inexplicável ligação que nasce nos espectadores mas, também nos mais de 500 voluntários que cuidam de cada detalhe, para que tudo saia perfeito.

 

Periodicidade Diária

sábado, 7 de dezembro de 2019 – 04:37:13

 

 
Feliz Natal e um
 
Próspero Ano Novo
 
 
Boas Festas!
 

 

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...