Campeonatos europeus com juízes do mais elevado nível mundial

Todos os sete juízes especialistas de marcha atlética que vão atuar nos próximos campeonatos europeus de atletismo, com lugar marcado para Zurique, de 12 a 17 do corrente mês, estão incluídos no painel internacional do grau mais elevado da federação internacional de atletismo (nível III), atestando, deste modo, o reconhecimento da grandeza do evento a nível continental.
 
 
As competições de marcha, disputadas integralmente num percurso em estrada, no centro da cidade de Zurique, terão, pela primeira vez, circuitos de distinta quilometragem. Enquanto para as provas de 20 km (dia 13 o setor masculino e dia 14 o setor feminino) o perímetro para cada volta é de 1 km, na competição de 50 km (dia 15) terá 2 km, em ambos os cenários esperando-se grande afluência de público. As respetivas cerimónias protocolares serão realizadas no estádio, sempre da parte da tarde.
 
 
O juiz-chefe é Steve Taylor, da Grã-Bretanha, que já desempenhou iguais funções nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e nos mundiais de Moscovo, em 2013, tendo atuado, ainda, nos mundiais de Osaca, em 2007. Como acontece em grandes eventos internacionais, a função do juiz-chefe é a de supervisionar e gerir o posicionamento dos juízes no circuito cabendo-lhe, igualmente, a tarefa de desclassificar os atletas que sofram três faltas, provenientes de três diferentes juízes. Estará especialmente atento aos cem metros finais de cada uma das provas, onde poderá exercer o poder de desclassificar diretamente um concorrente.
 
 
O restante corpo de juízes para os europeus será constituído por Janusz Krynicki (Polónia), o mais antigo juiz internacional no ativo, com dois mundiais no curriculum (2003, assistente do juiz-chefe, e 2011) e uma olimpíada (2004, assistente do JC), Jean-Pierre Dahm (França), com quatro mundiais (2001, 2003, 2009, 2013) e uma olimpíada (2012), Jordi Estruch (Espanha), com três mundiais (2003, 2011 e 2013) e duas olimpíadas (2004 e 2008), José Dias (Portugal), com dois mundiais (2001 e 2003) e duas olimpíadas (2004 e 2008), Rolf Muller (Alemanha), com presenças nos mundiais de 2003 (assistente do JC) e 2004, e nos Jogos Olímpicos de 2004 (assistente) e 2008, e Sílvia Hanusova (Eslováquia).
 
 
Desta vez, o suíço Frédéric Bianchi, que já exerceu funções de juiz-chefe nos mundiais de Berlim, em 2009 e de Daegu, em 2011, bem como nos Jogos de Pequim, em 2008, tendo atuado ainda nos mundiais de Moscovo, em 2013, terá funções no âmbito da componente logística, tendo sido ele o responsável pela escolha dos circuitos da competição.
 
 
Anota-se, também, a inclusão no júri de apelo de dois elementos que fazem ou já fizeram parte do painel internacional de juízes de marcha, o irlandês Pierce O’Callaghan, e o turco Can Korkmazoglu.
 
 
Portugal, além de José Dias, estará ainda representado, na equipa de oficiais internacionais da competição, por Jorge Salcedo (Delegado Técnico), Samuel Lopes (chefe dos Oficiais Técnicos Internacionais), e Pedro Branco (Delegado Médico).  

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...