14 anos ao serviço do Desporto em Portugal

016 - Artigo

Quantos de nós é que já não nos deparámos com dores nas costas que nos limitam, dificultam ou até impossibilitam o normal seguimento da nossa vida? Quantos de nós é que já deixámos de trabalhar ou de fazer as nossas rotinas diárias derivado ao aparecimento de incomodativas dores lombares (zona inferior da coluna)? Dificilmente encontraremos adultos que não tenham tido dores de costas, pelo menos uma vez na vida.
 
As patologias relacionadas com a coluna, se não forem crónicas ou degenerativas, podem ter, muitas vezes, origem em maus hábitos posturais e a uma falta de fortalecimento do CORE.
 
O Core é uma palavra de origem Anglo-Saxónica que designa centro, região central, núcleo, fundação entre outros significados.
Numa linguagem relacionada com o corpo e com o exercício físico, o CORE, ou a região do Core, entende-se como a área central do corpo, constituída pelos músculos da parede abdominal, coluna lombar, restantes extensores da coluna e músculos da cintura escapular. Resumido, será praticamente todo o corpo excepto membros e cabeça.
 
Todos os músculos do Core representam um suporte poderoso para o sistema muscular, pois o seu trabalho sinérgico, como que de uma unidade se tratassem, permite a estabilização do tronco durante os movimentos dos membros.
 
A problemática da estabilidade da coluna vertebral é uma situação com a qual nos deparamos todos os dias na nossa vida pessoal e profissional. Existem muitos estudos internacionais sobre esta problemática e os seus impactos na saúde e na economia. A conclusão é que 60 a 70% da população indica ter tido pelo menos uma vez na vida dores nas costas. Daí que os programas de "Core Training" tenham dado um grande salto quantitativo e qualitativo.Provavelmente também devido ao aumento dos índices de sedentarismo e das chamadas profissões de secretária.
 
O treino de condicionamento do Core combina força, alongamentos, equilíbrio e treino de alinhamento dos músculos que controlam a coluna.
 
O treino do Core desafia os abdominais e os músculos das costas a trabalharem de forma sinérgica, afim de estabilizar o tronco. O Core forte é a base para a qualidade dos restantes movimentos do corpo, argumento que justifica por si só a importância que deve ser dada, no planeamento, a esta fase do treino de cada um de nós, sobretudo aos mais descondicionados. O que na realidade acontece é, na maioria dos casos, darmos uma importância desproporcionada a um tipo de treino para queimar gordura (ex: andar ou correr) ou a um treino com objectivos estéticos (ex: hipertrofia).  
 
Nas diversas modalidades desportivas, no fitness em geral, ou até mesmo nas simples tarefas diárias, os movimentos dos membros dependem de uma forte fundação que os torna mais eficazes. O "Core Training" desenvolve esta fundação. O "Core Training" oferece o controlo e a estabilidade da região central do corpo, permitindo que possamos gerar uma potência muscular através da maximização da eficiência do esforço muscular. Pense no que seria, por exemplo, um jogador de futebol com umas pernas bem treinadas, capazes de gerar uma boa potência de remate mas com um Core fraco.
 
O treino do Core tem como objectivo melhorar a habilidade do tronco suportar os esforços e as forças geradas pelos membros superiores e inferiores, de tal forma, que os músculos e articulações possam trabalhar com segurança, com mais força e em posições mais eficazes.
 
O treino do Core não se limita apenas às costas, mas envolve também a cintura escapular e a cintura pélvica, que são responsáveis pela transferência de forças dos membros para a coluna. A cintura escapular é constituída pelas clavículas e omoplatas, e constitui uma âncora para movimentos dos membros superiores através das suas ligações na zona dorsal. A cintura pélvica funciona de uma forma similar, com os músculos da parede antero lateral do abdómen (MPALA) e os glúteos a trabalhar para manter a sua posição em relação à coluna. Isto permite que a bacia seja uma base estável para os movimentos dos membros inferiores.
 
Sendo assim, os músculos responsáveis pela transferência de forças entre os membros e a coluna, aqueles que estabilizam a parte central do corpo, ou Core, são essenciais para um óptimo funcionamento do corpo. Os benefícios que podem ser retirados do "Core
 
Training" passam por:
  • Maior eficiência na utilização da força muscular e menor esforço perdido, ao nível do tronco, na compensação de movimentos
  • Diminuição do risco de lesão, visto que as forças são transferidas para as partes do corpo que estão aptas a controlá-las;
  • Aumento da habilidade em movimentos que exigem mudanças de direcção, visto que momento de força no corpo e controlado;
  • Maior capacidade de gerar velocidade;
  • Melhoria no equilíbrio e coordenação muscular;
  • Melhoria na postura;
  • Menor incidência de dores nas costas;
  • Diminuição do absentismo
 
Referências:
Pagano, J. (2005). Treino de força para mulheres. Porto: Editora civilização.
Tanner, J. (2003). Costa saudáveis. Porto: Editora civilização.
Tavares, C. (2003). Treino da força para todos. Cacém: Manz.
Tavares, C., Raposo, F., Marques, R. (2005). Prescrição de exercício em health  club. Cacém: Manz

Periodicidade Diária

sábado, 16 de novembro de 2019 – 23:46:27

Pesquisar

Vamos ajudar!

Como comprar fotos

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...